Alexandre Loureiro/CBF
Alexandre Loureiro/CBF

Craque da seleção sub-17, Veron quase foi vaqueiro e pode render R$ 260 milhões ao Palmeiras

Atacante se destaca no Mundial da categoria em disputa no Brasil e faz time alviverde se proteger de interesse do Barcelona com multa pesada

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2019 | 08h00

A torcida brasileira começou a admirar nos últimos dias uma revelação que a torcida do Palmeiras já conhece. O atacante Gabriel Veron é um dos destaques da seleção no Mundial sub-17, com dois gols marcados, e consolida a cada jogo a expectativa para ser o novo craque do clube. A diretoria confia na permanência do garoto no clube, mas fixou uma elevada multa rescisória para diminuir o risco de perdê-lo: R$ 266 milhões.

Veron nasceu em 2002, quando o Brasil conquistava seu pentacampeonato Mundial, e não tinha como primeiro sonho ser jogador de futebol. Mas já era habilidoso. Na cidade natal, Assu (Rio Grande do Norte), o menino via o pai trabalhar como vaqueiro e pretendia ter a mesma profissão. "É a vida do meu pai, ele é vaqueiro, cuida de vaca, cavalo, trabalha na roça. Tentei ser vaqueiro com ele, mas não consegui", disse o jogador em entrevista coletiva na semana passada.

A ligação dele com o futebol vem até pela escolha do nome. O pai do jogador quis homenagear o ex-meia argentino Juan Sebastián Verón, que disputou as Copas de 1998, 2002 e 2010. "Ele (meu pai) teve três filhas e sempre quis ter um menino para colocar o nome do ídolo dele, o Veron", contou.

Veron tem dois gols no Mundial Sub-17, um marcado na estreia contra o Canadá e outro na última partida, diante de Angola. O próximo compromisso do time será nesta quarta-feira, com o Chile, pelas oitavas de final do torneio. O jogo será no Estádio Bezerrão.

O sucesso de Veron no Mundial Sub-17 mexeu até com o Palmeiras. O técnico Mano Menezes disse no último fim de semana que estuda promover o jogador ao elenco principal para ser testado em breve. O garoto tem contrato até outubro de 2021 e já teve algumas oportunidades para trabalhar na equipe de cima. Neste ano, ele chegou a ser inscrito para a disputa do Campeonato Paulista.

O jogador potiguar chegou ao Palmeiras em 2017, após ser descoberto em uma peneira. Antes disso, Veron defendia o Santa Cruz, de Natal. A velocidade para driblar e a capacidade para jogar posicionado nos dois lados do campo atraíram o clube alviverde. O Palmeiras não titubeou para trazê-lo para a capital paulista. Nos últimos anos, o atacante se despediu da família para morar no alojamento do Palmeiras, nos arredores do Allianz Parque.

Veron tem conquistado títulos importantes pelas categorias de base do Palmeiras desde a chegada à equipe. O último deles foi a Copa do Brasil Sub-17, com direito a gol na final contra o São Paulo. Em 2018, a diretoria assinou com a revelação seu primeiro contrato profissional. Também no ano passado, ele teve a primeira oportunidade para integrar um treino do time principal.

BARCELONA

O talento do potiguar começou a ficar conhecido mesmo antes do Mundial Sub-17. Em abril, o jornal espanhol Mundo Deportivo publicou que o Barcelona monitorava o desenvolvimento de Veron. O interesse do time catalão surgiu após o palmeirense se destacar em 2018 na campanha do título mundial sub-17 do alviverde, conquistado em cima do Real Madrid.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.