CRAQUES ESBANJAM CARISMA COM FÃS DURANTE A COPA

Jogadores que vieram para o Mundial retribuem carinho e colecionam ações de aproximação com os fãs que tentam entrar em contato com os ídolos

Ciro Campos, Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 17h00

Se tem uma coisa que não falta nesta Copa é craque. As boas partidas comprovam isso. Além de talento com a bola nos pés, muitos dos principais jogadores do mundo têm mostrado que também são 'diferenciados' fora das quatro linhas, esbanjando simpatia com o torcedor brasileiro.

A impressão é que muitos deles parecem se sentir em casa – mesmo que sua casa de verdade esteja a um oceano (ou milhares de quilômetros) de distância. 

Além da vontade natural de viver em um ambiente agradável e também não sofrer com rejeição, muitos dos craques adotam essa postura cordial de olho em uma força extra da torcida. Não chegamos nem à metade do Mundial, mas já é possível apontar que a seleção da Alemanha é uma das favoritas para ganhar não só a Copa, como também o simbólico título de campeã da simpatia. 

Desde que chegaram a Santa Cruz Cabrália, litoral sul da Bahia, dia 8, os alemães têm feito de tudo para conquistar os moradores da região. Já nos primeiros dias, o atacante Podolski apareceu tirando fotos com torcedores. Depois, um grupo de índios cantou e dançou com os atletas, que até arriscaram alguns passos.

Dias depois, Schweinsteiger, Podolski e Özil visitaram a única escola da vila de Santo André, onde fica a concentração da equipe, para ver os alunos cantarem e dançarem – no final da visita, bateram bola com os garotos. Schweinsteiger e Neuer já fizeram vídeo cantando o hino do Bahia e vestindo a camisa do time, e Özil e Podolski tiraram fotos fazendo pose ao lado dos policiais que fazem a segurança do hotel onde a seleção está hospedada. 

INVASÃO DO BEM

Se dentro de campo a Espanha deu vexame, fora das quatro linhas a conversa é outra. A atual campeã mundial também fez bonito no relacionamento com os torcedores, e isso ficou claro quando, faltando dois dias para o início do Mundial, a equipe treinava normalmente em Curitiba quando dois jovens invadiram o treino. 

Ao invés de seguranças truculentos, quem recebeu o menino foi o zagueiro Piqué, que lhe deu uma blusa de presente. Uma garota conseguiu a camisa de Diego Costa. 

A rivalidade Brasil x Argentina foi esquecida por alguns instantes durante o treino do time de Lionel Messi, no CT do Atlético Mineiro. O astro do Barcelona, como sempre, foi o mais ovacionado e também não decepcionou os fãs. 

Durante um treino no dia 11 de junho, torcedores invadiram o local. Um deles correu em sua direção e se ajoelhou a seus pés, como se estivesse engraxando sua chuteira. Messi não só permaneceu parado, como ainda deu um agasalho de presente para o torcedor. Em seguida, foi reverenciado por um sósia de Ronaldinho Gaúcho e caiu na risada após a cena insólita.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2014Copa do mundofutebolMundial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Bósnios conquistam moradores e até cães da cidade do Guarujá

Jogadores da equipe estreante em Copas distribuem chaveiros, autografam álbuns de figurinhas e até adotam cachorros

Ciro Campos, Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 17h00

A estada da Bósnia no Guarujá tem sido marcada por chaveiros, samba, álbuns de figurinhas e até cachorros como mascotes. Os estreantes em Copas aproveitam cada mínimo instante de contato com o público para demonstrar a alegria de estar na maior festa do futebol.

A primeira ação simpática foi logo na chegada à cidade. Era uma noite chuvosa, e a delegação atrasou 2h30 para desembarcar no hotel. Ainda assim, todos fizeram questão de ir à varanda curtir a festa com uma escola de samba e os fãs, que aguardaram pacientemente a chegada da delegação.

O primeiro contato caloroso abriu as portas para uma relação muito amistosa entre os bósnios e os moradores do Guarujá. A equipe costuma presentear os visitantes com chaveiros e se esforça para tentar se comunicar com os fãs.

A equipe de Dzeko conquistou o carinho até mesmo dos cachorros. Em um dia de treino, um cão de rua entrou no estádio onde a seleção fazia uma atividade. O animal recebeu a atenção dos jogadores e permaneceu ao lado do campo.

Dias depois, os jogadores foram correr na praia e outro cachorro apareceu e seguiu o percurso do grupo por cerca de 20 minutos. Torcedores que estavam no local aproveitaram para tirar foto com os atletas e apelidaram o animal de "Bosdog".

Ao contrário da maioria das seleções, a Bósnia não é tão discreta na concentração. Na entrada do hotel há uma enorme camisa da equipe e, frequentemente, os jogadores e a comissão técnica saem para caminhar pela cidade.

No portão de saída do treino sempre estão crianças com os álbuns de figurinhas da Copa em mãos. Os jogadores fazem questão de autografar o respectivo cromo, o que ajuda a torcida a memorizar os difíceis nomes dos atletas bósnios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Carisma de Cristiano Ronaldo surpreende a cidade de Campinas

Atacante português é atencioso com os fãs para fotos e autógrafos, além da simpatia com quem convive diariamente na concentração 

Ciro Campos, Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 17h00

Por trás da vaidade com os mínimos detalhes de sua imagem, Cristiano Ronaldo guarda uma personalidade agradável e simpática. O mesmo jogador que zela pelos detalhes do cabelo, pele e sobrancelha fez questão de passar vários minutos ao lado da torcida durante os treinos em Campinas, onde a seleção portuguesa está concentrada.

A humildade do atacante causou surpresas em quem convive com ele diariamente. Na chegada aos treinos no CT da Ponte Preta, o melhor jogador do mundo é o mais cordial do elenco e cumprimenta a todos sorrindo, ao contrário da maior parte de seus colegas.

O forte esquema de segurança no campo de treino não inibe os gritos por ele do lado de fora. O português não deixa de acenar, mesmo sem saber de qual direção vem o chamado.

A presença dele na cidade fez os fãs criarem uma rede de contatos para encontrar algum conhecido que esteja próximo e consiga trazer qualquer recordação. Os pedidos são inúmeros, mas o atacante dificilmente passa um dia sem ao menos deixar o seu autógrafo em alguma camisa.

Nas duas atividades abertas ao público, realizadas no estádio Moisés Lucarelli, o camisa 7 fez questão de ir até o alambrado para atender os torcedores e posar para fotos. No intervalo entre autógrafos, apertou a mão de seus admiradores e foi surpreendido quando um menino atirou para perto dele um par de chuteiras. O português pegou os calçados e também deixou ali sua assinatura.

Quando uma jovem invadiu o campo e foi retirada por seguranças, Cristiano Ronaldo pediu para que ela fosse liberada. Depois, aproximou-se da fã e foi atencioso. Deu uma camisa autografada e se despediu com um abraço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Admirador do Brasil, Drogba se sente à vontade no País da Copa

Marfinense ganha admiradores a cada dia que passa pelo carisma e disponibilidade para tirar fotos e fazer vídeos com os torcedores

Ciro Campos, Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 17h00

Ele nasceu na Costa do Marfim, mas um torcedor mais desavisado pode achar que Didier Drogba é brasileiro, tamanho o bom humor e a simpatia, mesmo nos momentos em que está concentrado. O principal jogador da seleção marfinense neste Mundial não é de se envolver em polêmicas e claramente parece entender a importância do torcedor em sua carreira. 

Por onde passa, Drogba deixa uma legião de aficionados. Ele é um daqueles jogadores que, quando não faz algo pessoalmente para chamar a atenção, ataca pelas redes sociais. 

Assim que chegou ao Recife, palco da estreia da Costa do Marfim no Mundial, contra o Japão, ele já tirou uma foto e postou em sua página do Instagram. A imagem repercutiu no mundo todo, até porque Drogba sempre faz questão de se referir ao Brasil com o maior respeito e carinho. 

Durante a partida diante dos japoneses, cada vez que tocava na bola a torcida ia ao delírio. Antes, quando a delegação chegou ao hotel para o jogo, Drogba foi surpreendido por um garoto de 19 anos que se hospedou no mesmo hotel onde a Costa do Marfim ficou – gastou mais de R$ 1 mil de hospedagem – e, como prêmio, conseguiu não só tirar uma foto, como fazer um vídeo e ainda conversar um pouco com o jogador, que sempre respondeu com simpatia.

Durante os treinamentos, é norma que o atacante sempre seja o preferido e, por diversas vezes, responde com um aceno.

"Eu fiquei orgulhoso! É fantástico sentir esse amor, essa paixão do povo brasileiro. Sinto como se estivesse no meu país, na minha casa, na minha Costa do Marfim. É o mesmo sentimento. É muito bom para mim e para todo o time ter o apoio dos fãs dessa maneira", disse o destaque marfinense, após a vitória por 2 a 1 sobre o Japão, no sábado passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Simpatia de Neymar com a torcida vira atração nos treinos

Brincalhão, atacante parece se divertir quando tem a chance de ter contato direto os com fãs presentes aos treinos da seleção brasileira

Ciro Campos, Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

21 de junho de 2014 | 17h00

Impossível falar de simpatia e bom humor na seleção brasileira e não lembrar de Neymar. O craque do Barcelona bate um bolão também quando o assunto é a forma como se relaciona com os torcedores. Durante a preparação da seleção para a Copa – e mesmo nos primeiros treinos –, várias foram as vezes em que o "ex-Menino da Vila" quebrou o protocolo para fazer a diversão dos fãs da equipe.

Durante um treino na Granja Comary, em Teresópolis, no último dia 8, a seleção trabalhava normalmente quando um garoto invadiu o gramado. Antes que os seguranças o tirassem do local, Neymar tratou de "salvar" o torcedor mirim e o levou para perto dos outros jogadores. Marcelo e David Luiz se divertiram tirando fotos e conversando com o garoto.

Aliás, tirar fotos é uma das maiores diversões dos comandados de Luiz Felipe Scolari. E foi justamente assim que outro grande nome do time – tanto dentro como fora de campo – ganhou mais espaço nos últimos tempos e passou a ser mais notado pelos torcedores.

O zagueiro David Luiz já está entre os atletas preferidos da torcida brasileira. O jogador do Chelsea está sempre brincando, fazendo caretas para fotos e, quando tem oportunidade, conversa e dá o máximo de atenção possível a seus fãs.

Na sexta-feira, dois carteiros foram ao treino da seleção e entregaram seis mil cartas para os atletas, todas com palavras de incentivo e apoio. "Isso é uma coisa gratificante que temos ao representar o Brasil. Essa dedicação das pessoas e esse carinho ajuda", disse David Luiz.

Até mesmo o carrancudo Felipão parece ter mudado. Ele se mostra mais simpático, manda recado para a torcida, brinca com jornalistas e mostra que o estilo "ousadia e alegria", no qual tanto Neymar gosta de falar, chegou até ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.