Creedence, novo artilheiro do Guarani

Creedence Clearwater Couto é o novo artilheiro do Guarani no Campeonato Brasileiro de 2003. Com 1,93m de altura, o atleta já marcou dois gols na partida de estréia do Brasileirão, na vitória sobre o Vasco da Gama por 4 a 2, além do gol decisivo diante do Vila Nova, pela segunda fase da Copa do Brasil. Mas o bom momento em que vive não faz esquecer o sufoco que já passou. Foi reserva de Rodrigão durante todo o Campeonato Paulista e nas primeiras partidas da Copa do Brasil. Com a ineficiência de Rodrigão, que não marcou nenhum gol no Paulistão, o então técnico interino Neto resolveu escalá-lo para a partida de volta diante do Vila Nova, pela Copa do Brasil. O gol aos 44 minutos, de cabeça - especialidade do atacante, o levou a condição de titular da equipe. Com a contratação do técnico Pepe, Creedence foi mantido e correspondeu em campo. "Aproveitei a oportunidade que o Neto e o Pepe me deram. Quero mostrar que posso ajudar o Guarani", disse. Desde que chegou ao Bugre, ele marcou quatro gols em partidas oficiais, três neste ano e um ano passado, diante do Flamengo, no Rio de Janeiro, pela última rodada do Brasileirão. Na pré-temporada marcou seis gols em amistosos, três contra o Águas de Lindóia e três contra o Serra Negra, mas foi preterido pela contratação de peso junto ao Saint-Ettiene da França: Rodrigão. Contratado pelo Guarani em setembro do ano passado, surpreendeu a torcida, que esperava Mota, ex-Ceará, e Oséas, ex-Palmeiras. O apelido de Paulista, que usava quando jogava pelo Iraty-PR, foi deixado de lado após o conhecimento de seu nome. "Meu pai gostava muito da banda e resolveu homenagear colocando esse nome. Prefiro Creedence do que Paulista", revelou. Com 24 anos, Creedence nem era nascido quando a banda norte-americana homônima se desfez, em 1972,um ano após emplacar o hit "Have You Ever See n the Rain", do álbum "Hey Tonight". Começou a carreira jogando pelo Botafogo de Ribeirão Preto, cidade onde nasceu. Sempre alvo de gozações dos colegas, ele avisa: "Quero ajudar o Guarani a conquistar um título e deixar a minha marca no clube".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.