Cresce número de partos na Alemanha 9 meses após a Copa

Os alemães batizaram a Copa do Mundo de 2006 de ?conto de fadas de verão?, uma referência à grande euforia que reinou nas ruas e cidades do país durante todo o torneio, em pleno verão europeu - de 9 de junho a 9 de julho de 2006. Essa euforia pode ter sido responsável por um aumento temporário da natalidade na Alemanha. Vários médicos e parteiras dizem que o número de nascimentos previstos para março deste ano está acima do normal.Rolf Kliche, diretor de uma maternidade em Kassel, no centro do país, confirma essa tendência. ?Nós estimamos que o número de nascimentos em março deste ano deverá ficar entre 10% e 15% acima da média?, disse.A maternidade do hospital universitário de Hamburgo, no norte da Alemanha, também espera um verdadeiro ?baby boom? nas próximas semanas. ?Os nossos cursos de preparação ao parto estão lotados?, disse um porta-voz.Por sua vez, Inge Gerbig, parteira na cidade de Worms, no sudoeste da Alemanha, contou que o número de partos que ela tem agendado para março é o dobro dos nascimentos esperados em fevereiro. Na Alemanha, as parteiras são profissionais de alto padrão e podem fazer o parto sem a presença de um médico.Inge ainda disse que situações de extrema alegria e euforia, como no caso da Copa, podem mexer com os hormônios e acabar resultando em mais nenês.Mas ela também lembra que vários casais resolveram esperar para ter filhos este ano por causa do novo salário-família alemão, que foi aumentado a partir do dia 1 de janeiro de 2007.Nome do ídoloO jornal Sueddeutsche Zeitung avaliou em tom de brincadeira o efeito que a Copa do Mundo teve na natalidade. ?Se muitos nenês forem batizados de Lukas, Bastian e Michael, não haverá dúvidas?, diz a publicação de Munique, referindo-se aos nomes de três astros da seleção alemã de 2006, que ficou em 3.º lugar - Lukas Podolski, Bastian Schweinsteiger e Michael Ballack.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.