Staff Images/Conmebol
Staff Images/Conmebol

Crespo valoriza campanha na Libertadores e fala em 'reconstrução' no São Paulo neste ano

Time ainda tem a Copa do Brasil para jogar e se recuperar no Campeonato Brasileiro; treinador argentino vai dar preferência aos novos atletas do elenco em detrimento dos mais veteranos, como Reinaldo

Felipe Rosa Mendes, Estadao Conteudo

18 de agosto de 2021 | 08h55

Mesmo sem esconder o abatimento pela eliminação na Copa Libertadores, Hernán Crespo tratou de valorizar a campanha do São Paulo na competição na qual é tricampeão. O time do Morumbi se despediu na fase de quartas de final ao ser derrotado por 3 a 0 pelo rival Palmeiras, no Allianz Parque, na noite desta terça-feira. O São Paulo ainda tem a Copa do Brasil e o Brasileirão para jogar na temporada.

"É difícil falar depois de uma eliminação, de um 3 a 0 diante de um rival como o Palmeiras. Chegamos a uma instância que o clube não chegava havia cinco ou seis anos", declarou o treinador argentino. O São Paulo não alcançava essa fase da Libertadores desde 2016, quando atingiu a semifinal e terminou a competição sul-americana em quarto lugar.

Desde então, o time do Morumbi ficou fora das duas edições seguintes da competição. Disputou a Copa Sul-Americana em 2017 e 2018 com fracas campanhas. Foi eliminado na primeira e na segunda fases, respectivamente. O retorno à Libertadores, maior objetivo do clube, aconteceu em 2019, mas esteve longe de empolgar. O time se despediu de forma precoce, ainda na fase preliminar, antes dos grupos, diante do modesto Talleres, da Argentina.

Na temporada passada, o começo até foi promissor na principal competição sul-americana, mas a queda também foi frustrante para a torcida, ainda na fase de grupos.

Para este ano, a expectativa era mais alta. O São Paulo vinha de grande campanha no Paulistão, onde foi campeão e encerrou jejum de títulos que durava desde 2012. As boas atuações sob o comando de Crespo no Estadual levaram a torcida a esperar por algo maior na Libertadores. Para o treinador, a expectativa foi exagerada, no entanto.

"Estamos em um ano de reconstrução. Ninguém quer sair da Libertadores, mas devemos aceitar a realidade", declarou, pregando trabalho para iniciar a reação da equipe após a dura eliminação. "O único jeito que conheço é trabalho, única moeda que paga. Amanhã é começar a trabalhar, pensar em Brasileirão, depois na Copa do Brasil (diante do Fortaleza). Único jeito que conheço na minha vida é trabalho."

Crespo não indicou quais serão os caminhos que vai adotar nesta "reconstrução". Mas deu dicas na partida. Ao deixar o experiente Reinaldo no banco, dando preferência ao jovem Gabriel Sara, pode ter indicado preferência pela nova geração. Neste processo de mudanças, a maior questão recairá sobre Daniel Alves, que está em atrito com a diretoria após declarações na Olimpíada de Tóquio, mas que tem contrato por mais duas temporadas.

Fato é que a reação do São Paulo terá de ser rápida porque o time disputa mais um mata-mata importante na próxima semana, contra o Fortaleza, pelas quartas de final da Copa do Brasil. E ainda precisa sustentar a reação no Brasileirão para afastar de vez o risco de rebaixamento. Na última rodada, bateu o Grêmio dentro de sua casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.