Criciúma arranca empate na Fonte Nova

O Bahia esteve na frente do placar duas vezes, mas não conseguiu garantir os três pontos na partida deste domingo à tarde, na Fonte Nova, contra o Criciúma. O empate por 2 a 2 terminou sendo um resultado justo apesar de o Bahia ter ficado sem o zagueiro Acioly, desde os 7 minutos do segundo tempo, por ter sido expulso, no lance do pênalti a favor do Criciúma. O Bahia saiu na frente do placar logo aos 10 minutos. O zagueiro Valdomiro aproveitou uma sobra na área, depois de um cruzamento de Danilo que raspou na cabeça de Luis Alberto. O time tricolor teve a chance de aumentar, em um pênalti sofrido pelo lateral Paulinho. Lino não assumiu sua condição de batedor dos pênaltis do Bahia e Danilo foi para a cobrança. Botou para fora. O pênalti perdido deu moral ao time do Criciúma, que foi para cima do Bahia, mas o goleiro Márcio fez defesas importantes. No segundo tempo, logo aos 7 minutos, o Criciúma retribuiu o pênalti perdido pelo Bahia. Acioly desviou a bola com a mão, mas na cobrança, Leonardo isolou a bola, chutando forte, por cima da trave. O Criciúma continuou em cima, buscando o empate, ainda mais agora que o Bahia tinha perdido o homem responsável por marcar Dejair. O jogador ficou livre para servir Leonardo, que chutou cruzado, aos 12 minutos, para empatar a partida. O Bahia ficou desarticulado na defesa e estava prestes a sofrer o segundo gol, quando o talento de Nonato para marcar gols voltou a fazer a diferença. Ele estava na hora certa, no lugar exato, para apanhar um rebote, depois de uma jogada de Ramos, com colaboração de Luís Alberto. O gol, aos 29 minutos, estimulou mais o Criciúma a subir para o ataque. O gol de empate seria mesmo inevitável. E ele veio, aos 39 minutos, quando Leonardo cruzou e Léo Mineiro marcou.

Agencia Estado,

03 de agosto de 2003 | 18h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.