Criciúma demite treinador em menos de dois meses

Criciúma demite treinador em menos de dois meses

No comando do time por 13 jogos, Dal Pozzo é despedido após mais uma derrota que levou a equipe à última colocação

Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 16h17

Novo lanterna do Brasileirão, o Criciúma não esperou a passagem de Gilmar Dal Pozzo completar dois meses no clube. Nesta segunda-feira, a diretoria do time catarinense demitiu o treinador, contratado no início de setembro, em razão da sequência de resultados negativos no campeonato.

Dal Pozzo perdeu o emprego dois dias depois da derrota do Criciúma para o Vitória, rival direto na briga para escapar do rebaixamento, pelo placar de 3 a 1, em Salvador. Com o resultado, a equipe catarinense caiu para a última colocação, com 30 pontos, a quatro do próprio Vitória, primeiro time fora da zona de descenso neste momento.

A derrota reduziu ainda mais o aproveitamento de Dal Pozzo à frente do time. Ao todo, ele comandou o Criciúma em 13 jogos, com três vitórias, quatro empates e seis derrotas, totalizando aproveitamento de apenas 33%.

A demissão foi anunciada após reunião com a diretoria. Junto do treinador deixam o clube o auxiliar técnico Lucianinho e o preparador físico Pacheco. "O Criciúma agradece a Gilmar Dal Pozzo pelo profissionalismo e dedicação à frente do clube", registrou o clube, em nota oficial.

Dal Pozzo foi o quarto treinador do Criciúma neste Brasileirão. A equipe começou a competição sob o comando de Ricardo Drubscky, substituído por Caio Júnior. Antes de Dal Pozzo, Wagner Lopes assumiu o time. Além deles, o Criciúma foi liderado pelo interino Wilsão, que tem boas chances de seguir no comando até o fim do campeonato.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCriciúmaGilmar Dal Pozzo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.