Cricúma estréia técnico e "prata-da-casa"

O auxiliar técnico Gílson Kleina, efetivado no cargo de treinador, e o "prata-da-casa" Jucemar na ala direita, são as principais novidades do Criciúma para a abertura do returno do Campeonato Brasileiro, contra o São Caetano, nesta quarta à noite, no litoral sul de Santa Catarina. Kleina substitui, agora em definitivo o técnico Lori Sandri, que assume o Vitória da Bahia. Sandri comandou o Criciúma em 14 jogos, conquistando nove vitórias, um empate e amargando quatro derrotas. Sob seu comando a equipe anotou 22 gols e sofreu 14. Quando assumiu o clube catarinense estava em 21º lugar e hoje tem a sétima melhor campanha do campeonato. Na sua opinião a combinação de um retrospecto positivo com um grupo de jogadores pouco conhecido lhe credenciaram para a transferência e a uma "proposta irrecusável". "O quadro está pintado, o Kleina vai colocar nele a sua assinatura ", brincou Lori, ratificando a primeira meta do Criciúma no campeonato: somar 50 pontos e afastar qualquer possibilidade de rebaixamento. "Depois disso existem outros objetivos, que vamos perseguir com determinação", disse Kleina, que foi trazido por Lori para o Criciúma e o substituiu no banco de reservas enquanto o titular discutia sua rescisão de contrato com o Verdy Tóquio, do Japão. O novo treinador também confirmou o retorno de Léo Oliveira na zaga, depois de cumprir suspensão automática e a permanência de Douglas na equipe, jogando na vaga de Saulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.