Crise corintiana desafia paz tricolor

Se o futebol fosse uma ciência exata, oconfronto deste domingo entre São Paulo e Corinthians, às 16horas, no Morumbi, não teria nenhuma graça. Os apostadores daloteria acertariam o resultado sem dificuldade e os corintianosnem se aventurariam a ligar a tevê ou o rádio para acompanhar ojogo. O desempenho do São Paulo é tão superior ao do rival natemporada que fica bem difícil imaginar uma vitória corintiana.Mas, além do velho chavão de que clássico é clássico, ostorcedores do Corinthians se apóiam na estréia de Tite parasonhar com um bom resultado nesta tarde e com a recuperação noano. O novo técnico corintiano, com seu sotaque gaúcho e estilosóbrio de trabalhar, chegou ao Parque São Jorge na quinta-feirausando discurso pé-no-chão, apostando na cautela para começar atirar o time do fundo do poço. Como o ataque não vem funcionando preferiu dar prioridade à defesa. "Vamos ser resguardados, massempre com coragem de atacar", afirmou. Em 2004, já foram 34 gols sofridos contra apenas 22 marcados.Em 22 jogos oficiais, o Corinthians só venceu 7 vezes e tem opífio aproveitamento de 39% dos pontos disputados. Está claroque há necessidade de mudanças e Tite vai fazê-las em seuprimeiro jogo. Utilizará o esquema 3-5-2. Se conseguir resolver os problemas da equipe, o treinador, de43 anos, dará um salto importante na carreira. O convite doCorinthians, por sinal, lhe dá a primeira chance de trabalharnum chamado grande do eixo Rio-São Paulo. Chance que seuadversário desta tarde, Cuca, vem aproveitando muito bem. O paranaense com jeito de gaúcho, de 40 anos, caiu nas graçasdos são-paulinos. Além de estar conseguindo dar padrão de jogoao time do Morumbi, apesar das limitações do elenco, soube uniro grupo e mobilizar os atletas em busca das vitórias. Já foram20 em 27 partidas oficiais ? com apenas 4 derrotas ?, quegarantem o bom aproveitamento de 78% na temporada. O time estána semifinal da Libertadores e ocupa as primeiras posições doBrasileiro. "Nosso forte é o coletivo", resumiu. "Destacam-seo Luís Fabiano e o Rogério, mas o Grafite está lutando como umleão, o Cicinho corre durante os 90 minutos, os volantes fazembom trabalho na marcação, o Fabão e o Rodrigo limpam tudo láatrás..." Cuca reconhece que a responsabilidade maior, neste domingo, édo São Paulo, mas prefere não falar em favoritismo. "Não vaiser fácil, é clássico e os jogadores do Corinthians vão semotivar com a estréia do Tite." Luís Fabiano, que está naseleção, deverá ser substituído por Diego Tardelli e Gabrielentrará no meio-de-campo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.