Crise entre Leão e torcida tem Luxemburgo como pivô

Torcedores querem a saída do atual técnico do Santos por empatia ao outro técnico, e negam dinheiro no caso

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

25 de fevereiro de 2008 | 18h34

A crise entre Emerson Leão e a Torcida Jovem do Santos, que o vaiou e pediu sua saída do clube mesmo com a vitória por 4 a 1 sobre o Ituano, no domingo, pelo Campeonato Paulista, é ideológica, motivada pelo lado financeiro, como apurou o estadao.com.br. O problema existe por falta de empatia entre Leão e os torcedores, com o técnico Vanderlei Luxemburgo, atualmente no Palmeiras, inserido como motivador do caso. Tudo por provocação.Veja também: Leão: goleada do Santos teve começo difícil e final felizQuem é o responsável direto pela crise? É um conjunto de fatores. Os torcedores estão incomodados com o técnico por simpatizarem com Luxemburgo, motivados pelo que consideram bom relacionamento com ele. O presidente da torcida organizada, Valdir Henrique da Silva Junior, o Konguinho, fala: "O Luxemburgo fez um ótimo trabalho e sempre ajudou o Santos". Leão, por outro lado, nunca escondeu que não gosta do técnico palmeirense. As pessoas próximas a eles associam os fatos nas conversas, mas ninguém quer falar oficialmente.Um dos motivos deste bom relacionamento da torcida com Luxemburgo é a causa da ajuda no Carnaval, com a doação de isopores para a confecção de esculturas de carros alegóricos neste ano, por exemplo. O fato é confirmado pelo assessor de Imprensa do técnico, Luiz Lombardi. E ambos negam que tenha sido utilizado dinheiro vivo. "O Vanderlei ajudou eles assim como ajudou a Mancha Verde, a Gaviões, e uma outra escola de Santos", diz Lombardi. PATRIMÔNIOKonguinho nega ainda que tenha pedido dinheiro ao atual técnico do Santos - e que por isso a torcida não goste dele -, como vinha sendo especulado nos últimos dias. "Nunca conversamos com ele [Leão]. Ele que chegou e disse que o Santos era pasto, tinha de ter respeito pelos jogadores. Ele quer jogar o povo contra nós e o maior patrimônio do Santos é a torcida".Já o técnico Emerson Leão não quer mais falar no assunto. Considera que o fato do último domingo, quando os torcedores pediram sua saída mesmo com o time vencendo, protestando inclusive com panfletos, já foi o suficiente sobre o caso. Em conversas, porém, ele já disse que acredita que alguém paga para os torcedores o criticarem. Ele nega oficialmente, mas essa pessoa seria Luxemburgo.NEM SE OLHAMOs dois técnicos não se entendem desde que seus caminhos praticamente se cruzaram no Santos e na seleção brasileira. Um criticou o trabalho do outro quando o sucedeu. São desavenças que vem desde os anos 90. Não se cumprimentam em campo e, nos confrontos entre os times que dirigem, até evitam se olhar. Para acabar com a crise, o presidente Marcelo Teixeira vai intervir no caso para encontrar a paz. Os torcedores, porém, prometem continuar protestando e só terminarão quando Leão sair do Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.