Crise faz TV pagar menos pelo futebol

Como se não bastassem os problemas já existentes, os clubes agora têm de se programar para uma nova e dura realidade com a redução de receita. A principal fonte de renda nos últimos anos, as cotas de televisão, vêm caindo acentuadamente. Nesta segunda-feira, em reunião do Clube dos 13 com a TV Globo, detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, ficou praticamente definido que as agremiações receberão ?apenas? R$ 130 milhões, a serem divididos, para disputar a competição ou cerca de R$ 20 milhões menos que no último ano. Um ponto ainda prejudica as negociações. A Globo, que já pagou 40% do valor referente a este campeonato em novembro do ano passado, quer quitar o restante em seis prestações a partir deste mês de julho. Os dirigentes filiados ao Clube dos 13 aceitam a proposta desde que a emissora inclua nesse acerto mais R$ 20 milhões referentes já ao Brasileiro de 2003. A Globo deve dar uma resposta ao pedido dos presidentes dos clubes sexta-feira. Na segunda, na sede do Fluminense, os dirigentes novamente se reúnem para assinar, agora sim em definitivo, o contrato relativo à competição deste ano. Depois de quatro horas e quinze minutos de reunião, o clima dos dirigentes era de frustração. O presidente do Flamengo, Gilberto Cardoso Filho, afirmou que os clubes tiveram de recuar muito para chegar ao atual acordo. ?Eles pediram muito e a gente aceitou. Chegamos no nosso limite?, disse. A Globo pretendia fechar o contrato já dos nacionais dos próximos anos, até 2005, mas os clubes não aceitaram. De acordo com o presidente do Corinthians, Alberto Dualib, como os valores que a empresa vem oferecendo estão muito baixos, é mais vantajoso adiar a negociação dos próximos campeonatos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.