Crise ronda de novo futebol argentino

A história tende a repetir-se na Argentina. A duas semanas do início da temporada de 2002-03, há risco de greve dos jogadores. O motivo, semelhante ao do ano passado, são as dívidas dos clubes. Segundo levantamento do sindicato dos atletas, 47 dos 63 times das três divisões profissionais estão com problemas de caixa. Se não houver acordo, ou pelo menos pagamento de parte dos salários e prêmios atrasados, o calendário será interrompido.A situação está crítica e afeta 14 dos 20 times da Série A. Os débitos de 2001 ainda não foram quitados, depois de muita discussão e paralisação. Para complicar, o passivo aumentou, por causa de novas contratações. A bola de neve cresce e, mais uma vez, deixa muitas equipes à beira da falência. O River Plate já deu uma mostra do que pode ocorrer nos próximos dias. No começo da semana, jogadores ameaçaram não viajar para os Estados Unidos, onde estão acertados três amistosos, porque não receberam salários. A dívida gira em torno de US$ 2 milhões. Os dirigentes prometeram pagar parte com o que receberem nos EUA.Apesar disso, o River faz parte do pequeno grupo que está em condições de jogar o Torneio Abertura. Os outros são Boca, Racing, Independiente, Velez e Gimnasia y Esgrima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.