Crise total na ameaçada Ponte Preta

A crise está instaurada de vez no Majestoso. Não é por menos, porque após a derrota da Ponte Preta, em casa, por 3 a 2, para o América, o time campineiro é o que soma maior número de derrotas até agora: sete, com duas vitórias e um empate.O clima ficou pesado no sábado à noite, com protestos dos torcedores e com o técnico Osvaldo Alvarez, o Vadão, balançando no cargo por causa da atual campanha. Pelo menos por enquanto Vadão está garantido pela diretoria. Mas, seu saldo é negativo, porque em seis jogos venceu apenas dois e perdeu quatro. Pressionado, ele promete mudanças radicais para o jogo contra o Rio Branco, no próximo sábado, de novo, em Campinas. "Se precisar vamos colocar só o time de juniores. Não acertamos ainda a melhor formação, mas não podemos ser apáticos em campo", desabafa.Vadão também entendeu como desabafo as declarações do atacante Roger, um dos mais visados pela torcida e que respondeu secamente: "É uma cambada de babacas. Se a diretoria me quiser mandar embora, tudo bem, porque tenho estudo e sei me virar". O técnico promete dar conselhos ao jogador, que é tido como uma grande promessa do clube. Apesar da má fase do time, Roger marcou cinco gols, tendo um a menos do que o meia Harison, fora do time por contusão.

Agencia Estado,

27 de fevereiro de 2005 | 16h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.