Crise volta a rondar o Araçatuba

O time do Araçatuba está em crise e sob ameaça de acabar. Após três derrotas consecutivas por goleada no Campeonato Paulista da série A-2 - 3 a 0 para o Mirassol, 4 a 0 para o Juventus e 4 a 2 para a Paraguaçuense -, o técnico Hélio Corrêa pediu demissão. Ele era diretor do Araçatuba e estava improvisado como treinador desde o início da competição.A diretoria ainda não se manifestou sobre o pedido de demissão de Corrêa, nem começou a procurar outro treinador. O presidente do Araçatuba, Antônio Edwaldo Costa, que também é vereador na cidade e mais conhecido pelo apelido de Dunga, anunciou nesta terça-feira que vai deixar o cargo e extinguir o clube. Ele alega que não está tendo apoio financeiro para manter o time, que durante seis anos fez parte do grupo de elite do futebol paulista, sendo rebaixado no ano passado.A crise está tão feia que até o prefeito da cidade, Jorge Maluly Netto, interveio. Maluly está disposto a tentar salvar o Araçatuba, mas impõe a saída da diretoria comandada por Dunga, a qual, segundo ele, não recebe apoio do empresariado local por falta de credibilidade. O Araçatuba enfrenta várias ações trabalhistas na Justiça e também deve ao INSS. Por isso, o dinheiro que seria repassado ao clube pela Federação Paulista de Futebol (FPF) vem sendo retido para pagamento das dívidas.Os jogadores não falam sobre a crise, mas o desânimo e o descontentamento entre eles são evidentes. Os salários estão atrasados, o que é apontado pela imprensa local como causa da queda repentina de rendimento do time, que tem 10 pontos ganhos e volta a jogar no próximo Domingo, contra o Ituano, em Araçatuba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.