Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

Fã de Wesley 'Safadón', atacante Cristaldo vê Barrios titular por ter mais nome

Argentino foi um dos destaques na partidas contra o Avaí

DANIEL BATISTA, O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2015 | 16h49

O atacante Cristaldo foi um dos destaques da vitória do Palmeiras por 3 a 1 sobre o Avaí, sábado, no estádio da Ressacada, em Florianópolis. O argentino aproveitou bem a oportunidade dada pelo técnico Marcelo Oliveira, que decidiu poupar alguns jogadores. Para o jogador, sua disputa por uma vaga entre os titulares acaba sendo prejudicada pelo fato de enfrentar Lucas Barrios, que chegou ao clube cheio de moral.

"O Barrios vinha muito bem de centroavante. É um jogador de muito mais nome, que tem história no futebol e já fez muitos gols. O Marcelo fala comigo que posso gerar outra expectativa para o segundo tempo. Ele diz que eu tenho estrela", disse o atacante palmeirense.

Sempre demonstrando bom humor, Cristaldo aproveita os raros momentos de folga para conhecer um pouco mais a cultura brasileira através da música. "Estou ouvindo muito ''Wesley Safadón''. Tem uma (música) que chama ''Camarote'', que estou ouvindo no vestiário, mas sou muito mal cantando", disse, aos risos.

Cristaldo disse ainda que gosta do carinho do torcedor, mas não se empolga muito com a fama de talismã. "Todo mundo gosta (da fama), mas jogador de futebol quer jogar sempre. Eu sou muito agradecido à torcida que gosta de mim, que demonstra carinho, mas quero jogar."

O jogador negou que esteja conformado com o fato de ser reserva, mas fica feliz pelo fato de conseguir mostrar para Marcelo Oliveira que ainda pode ser útil. "Eu me cobro quando não estou jogando, porque às vezes pode ser por erros meus. Com o Marcelo, foi o segundo jogo que sou titular, mas antes, fui titular muitas vezes. Sábado pude mostrar que ele pode contar comigo. Não me sinto acomodado, me sinto um privilegiado por estar aqui", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasCristaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.