Cristiano Ronaldo admite alívio após título com o Real Madrid

Atacante português conquista a Liga dos Campeões pela segunda vez na carreira

Agência Estado

24 de maio de 2014 | 23h25

LISBOA - A vitória sobre o Atlético de Madrid, na final deste sábado, não pôs fim somente a uma obsessão do Real Madrid. Se o clube buscava o 10.º título, seu principal astro, Cristiano Ronaldo, sonhava com sua primeira Liga dos Campeões com a camisa do time espanhol, depois de levantar o troféu pelo Manchester United.

Alcançado o objetivo, com o triunfo na prorrogação, o atacante português demonstrou certo alívio. Não sem motivo. Desde que chegara ao clube, ainda em 2009, Cristiano Ronaldo avisava que seu maior objetivo era este título. Para isso, ele foi contratado, ao lado de outras estrelas, como Di Maria, Özil e o técnico José Mourinho, os dois últimos já defendendo outras equipes.

"Desde meu primeiro dia no clube eu me sentia pronto para isso. E finalmente aconteceu hoje", declarou o atacante, que foi eliminado com o Real Madrid nas semifinais das últimas três edições da Liga dos Campeões. "A pressão está me tornando um jogador melhor".

Ainda em busca do seu melhor preparo físico, depois de se recuperar de uma lesão na coxa esquerda, Cristiano Ronaldo reconheceu que entrar em campo neste sábado foi um risco. Mas afirmou que a aposta, apesar da proximidade da Copa do Mundo, valeu a pena. "Foi um risco, mas com certeza valeu a pena. Somos os campeões".

O título foi coroado com um gol na decisão, marcado de pênalti nos instantes finais da prorrogação. Foi seu 17º nesta Liga dos Campeões. Assim, o atacante ampliou seu recorde de gols em uma única edição da competição europeia. "A décima [taça] está aqui agora e, com recordes sendo quebrados pelo caminho, é simplesmente incrível", comemorou.

Para o português, o Real fez por merecer a vitória, de virada, na decisão. "Merecemos ganhar porque jogamos melhor. Eles não tiveram nenhuma oportunidade e fomos melhores. O futebol é assim, há partidas que só podem ser vencidas nos últimos minutos e hoje foi assim. Mas temos que parabenizar o Atlético por sua grande temporada", declarou.

O tom de alívio foi compartilhado por outros jogadores do Real. "Estamos muito felizes por causa de todo o sacrifício que fizemos durante o ano. E merecemos ser campeões", celebrou Di Maria, eleito o melhor jogador da final. "É uma alegria muito grande conquistar a décima [para o clube] e a minha primeira Liga dos Campeões. É algo que você sonha desde pequeno".

Sérgio Ramos também era só alegria ao fim do confronto. O zagueiro foi o autor do heroico gol que deu ao Real o empate no tempo normal, aos 48 minutos do segundo tempo - o Atlético abrira o placar com Godín aos 35 da etapa inicial. "É incrível a recompensa e a satisfação. Lutamos muito até o fim e esse gol não foi apenas meu, é de toda a torcida", disse o defensor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.