Massimo Pinca/Reuters
Massimo Pinca/Reuters

Cristiano Ronaldo ameaça entrar na Justiça contra revista alemã que o acusa de estupro

Segundo os representantes jurídicos de CR7, o véiculo faz acusações 'descaradamente ilegais'

O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2018 | 14h37

Após recentes polêmicas, os advogados de Cristiano Ronaldo ameaçam entrar com uma ação na Justiça contra a revista alemã Der Spiegel. O veículo divulgou uma denúncia de estupro por parte do astro português que teria ocorrido em junho de 2009, em Las Vegas.

De acordo com a publicação, o atacante teria forçado Kathryn Mayorga a fazer relações sexuais com si e ainda teria pago US$ 375 mil (R$ 1,5 milhão pela cotação atual) por seu silêncio. Segundo os representantes jurídicos de Ronaldo, a revista faz acusações 'descaradamente ilegais'.

O advogado de Ronaldo, Christian Schertz, declarou através de uma nota oficial que a acusação contra seu cliente é "uma denúncia inadmissível de suspeitas na área de privacidade" e que buscaria reparação legal de danos para seu cliente junto à revista.

O comunicado foi divulgado para a agência Reuters pela empresa Gestifute, agência portuguesa que presta serviços e representa o atacante da Juventus, em resposta à Der Spiegel. Nenhuma outra pergunta foi respondida sobre o caso em questão. A equipe italiana a qual Ronaldo defende também não quis se posicionar sobre o caso.

"Kathryn foi sexualmente agredida em junho de 2009 por um indivíduo chamado Cristiano Ronaldo", disse a advogada de Mayorga, Leslie Mark Stovall, em um vídeo publicado online pela Der Spiegel. A revista recebeu as acusações há cerca de um ano e meio cedidos pela plataforma digital Football Leaks. Quando abordado sobre o caso, Ronaldo diz que as relações foram consensuais.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.