ANTHONY DEVLIN / AFP
ANTHONY DEVLIN / AFP

Mãe de menino autista que teve celular derrubado por CR7 recusa encontro: 'Nada a falar com ele'

Sarah Kelly afirma que foi procurada por representantes do astro português para conhecer o Old Trafford, estádio do Manchester United

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2022 | 11h11

Sarah Kelly, mãe do menino autista de 14 anos que teve o celular derrubado por Cristiano Ronaldo com um tapa, disse ter recusado convite para se encontrar com o astro português após ser procurada pelos representantes do jogador. Torcedores do Everton, ela e o filho, Jake Harding, foram convidados para conhecer o atacante no Old Trafford, estádio do Manchester United, mas não se interessaram

"Eu não tenho nada para falar com ele. Por que eu deveria ir até Old Trafford? Por que um 'Blue' quer ir visitar um 'Red'", disse Kelly ao canal Sky Sports, fazendo alusão às cores das duas equipes. 

O incidente aconteceu no sábado, dia 9, após a derrota do United por 1 a 0, fora de casa, para o Everton, pelo Campeonato Inglês. Na saída dos jogadores de campo, Cristiano Ronaldo deu um tapa na mão de Jake ao perceber que estava sendo filmado pelo rapaz. A mãe do garoto, que sofre de dispraxia — transtorno que causa dificuldades motoras — publicou uma foto da mão machucada do menino e disse que ele está muito abalado com o episódio. Ela afirma que irá denunciar o atleta. 

"Estávamos filmando os jogadores do United entrando no vestiário, quando Jake baixou o celular porque Cristiano Ronaldo bateu na mão dele e sua mão estava sangrando. Ele baixou o celular para ver o que aconteceu, não conseguia nem falar", disse Sarah ao jornal Liverpool Echo. Rapidamente, o caso ganhou repercussão nas redes sociais, com torcedores brasileiros comparando o episódio ao de Calleri, atacante do São Paulo, que fez o mesmo com um torcedor palmeirense, de 16 anos, após a derrota na final do Paulistão. No domingo, Cristiano Ronaldo veio a público pedir desculpas. 

"Nunca é fácil lidar com emoções em momentos difíceis como o que estamos enfrentando. No entanto, temos sempre de ser respeitosos, pacientes e dar exemplo para todos os jovens que amam este belo esporte. Gostaria de me desculpar pela explosão e, se possível, convidar este torcedor para assistir a um jogo em Old Trafford como um sinal de fair-play", escreveu o astro do Manchester United e da seleção de Portugal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.