Alfredo Falcone / AP
Alfredo Falcone / AP

Cristiano Ronaldo e Danilo podem ser punidos por furar 'bolha' da Juventus

Ambos deixaram o clube italiano para defenderem suas seleções nacionais

Redação, Estadão Conteúdo

07 de outubro de 2020 | 09h00

O português Cristiano Ronaldo e o lateral brasileiro Danilo poderão enfrentar processo judicial na Itália por terem furado a "bolha" da Juventus. O clube de Turim está em isolamento desde sábado devido a dois casos de covid-19. No entanto, cinco jogadores deixaram o clube e a Itália para viagens internacionais.

No caso de Danilo, ele viajou para se apresentar à seleção brasileira, no começo da semana. O lateral-direito é um dos convocados do técnico Tite para os primeiros jogos da equipe nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, contra Bolívia e Peru, nesta sexta-feira e no dia 13 (terça), respectivamente.

Além da dupla, deixaram a Itália nos últimos dias o argentino Paulo Dybala, o colombiano Juan Cuadrado e o uruguaio Rodrigo Bentancur, todos da Juventus. Eles teriam deixado o hotel onde estava hospedado o elenco do time italiano sem realizar os últimos testes para o novo coronavírus.

O isolamento permitia ao elenco treinar e até disputar partidas, dentro dos protocolos. Mas impedia que deixassem o país, o que poderá trazer consequências para todos os jogadores e também para a direção do time.

"O próprio clube indicou que alguns jogadores deixaram o local do isolamento e, portanto, informaremos a autoridade competente, a Procuradoria Pública, sobre o que aconteceu", declarou Roberto Testi, da Agência de Saúde local.

De acordo com a imprensa italiana, a saída dos cinco jogadores gerou atritos no clube. Principalmente porque o presidente Andrea Agnelli vinha se gabando de seguir todos os protocolos dentro do clube e chegou a criticar o rival Napoli, que teria infringido algumas regras.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.