Juan Medina/Reuters
Juan Medina/Reuters

Cristiano Ronaldo encerra polêmica sobre recorde no Real

Português chega oficialmente aos 324 gols com a camisa merengue

Estadão Conteúdo

17 de outubro de 2015 | 13h00

Agora não há mais dúvidas: Cristiano Ronaldo é o maior artilheiro da história do Real Madrid. Neste sábado, ele marcou o segundo gol da vitória por 3 a 0 sobre o Levante, no Santiago Bernabéu, pelo Campeonato Espanhol, e chegou oficialmente a 324 gols com a camisa merengue. Deixou para trás o astro Raúl Gonzalez, que, aos 38 anos, vai se aposentar no mês que vem.

Para o Real Madrid, Cristiano Ronaldo já era o recordista isolado. É porque o clube considera para o atacante um gol de 2000 que, na súmula, foi anotado para o zagueiro português Pepe. Com 324 ou 325 gols, o fato é que Ronaldo deixou para trás Raúl, que se despediu do Santiago Bernabéu com 323 gols.

No começo do mês, a diretoria já havia feito uma homenagem a Cristiano Ronaldo, dando a ele um troféu em forma de chuteira, que trazia a inscrição 324. O português chegou ao recorde, nas contas do Real, depois de marcar duas vezes na vitória sobre o Malmö, da Suécia, pela Liga dos Campeões, no último dia 30. Depois, passou em branco no empate com o Atlético de Madrid.

Neste sábado, tabelou com Marcelo e deu boa assistência para o brasileiro abrir o placar no Santiago Bernabéu. O gol do recorde foi muito bonito, aos 30. O português arriscou da meia-lua e colocou a bola inalcançável para o goleiro Rubén. No fim do segundo tempo, Jesé ainda anotou o terceiro.

A equipe de Marcelo, Danilo e Casemiro - todos titulares neste sábado -, chegou aos 18 pontos e assumiu a liderança do Campeonato Espanhol. Mas a partida marcou a abertura da oitava rodada. O Villarreal (16 pontos) joga contra o Celta (15), em casa, domingo, e pode reassumir a ponta. O Barcelona, que também tem 15, visita o Rayo Vallecano ainda neste sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.