Diogo Pinto / Federação Portuguesa de Futebol
Diogo Pinto / Federação Portuguesa de Futebol

Cristiano Ronaldo volta para Turim em 'ambulância aérea' para cumprir isolamento

Mudança de país foi um pedido do próprio jogador e teve autorização de autoridades sanitárias

Redação, Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2020 | 14h28

O craque da Juventus, Cristiano Ronaldo, voltou à Itália após testar positivo para o novo coronavírus, em Portugal. Nesta quarta-feira, o atacante foi transferido de Lisboa para Turim em uma "ambulância aérea" e concluirá o período de quarentena na cidade sede de seu clube. "Cristiano voltou à Itália em voo autorizado pelas autoridades sanitárias competentes a pedido do jogador e irá completar o seu isolamento em sua residência", informou a Juventus, em comunicado.

O periódico português Record publicou fotos de um pequeno avião que seria utilizado para transportar o jogador. A aeronave tinha a palavra "ambulância" pintada em uma de suas turbinas. Cristiano ficou isolado do restante da seleção de Portugal após testar positivo para a covid-19. De acordo com as primeiras informações de seu quadro clínico, divulgadas pela Federação Portuguesa de Futebol, ele estava assintomático e em boas condições.

O astro, de 35 anos, foi diagnosticado com o vírus dois dias antes de um jogo contra a Suécia, válido pela Liga das Nações. Um novo exame, na terça-feira, confirmou que ele estava infectado e provocou a sua dispensa. Cristiano havia jogado no domingo pelo torneio europeu contra a França e, na semana passada, participou de um amistoso diante da Espanha.

O atacante ficará fora da visita da Juventus ao Crotone, pelo Campeonato Italiano, no sábado, bem como da estreia de seu clube na Liga dos Campeões, também como visitante, diante do Dínamo de Kiev. Dependendo da evolução de seu quadro viral, ele também poderá perder a partida contra o Barcelona, marcada para o dia 28 de outubro.

Nenhum outro membro da seleção portuguesa testou positivo antes do jogo contra a Suécia. Mas dois outros atletas - José Fonte e Anthony Lopes - já haviam contraído a covid-19. Na ocaisão, eles também foram dispensados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.