Cristóvão admite erros no planejamento do Fluminense

Treinador afirma que clube passa por transição, mas avalia como bom o comportamento e o esforço dos jogadores do elenco

Estadão Conteúdo

08 de dezembro de 2014 | 09h29

O Fluminense terminou o Brasileirão na sexta colocação, a oito pontos do último classificado para a Copa Libertadores. O time carioca também ficou longe de beliscar a vaga na competição sul-americana na Copa do Brasil e tampouco fez campanha vistosa no Campeonato Carioca. Para Cristóvão Borges, o time não brigou por títulos neste ano em razão de erros no planejamento.

"É um conjunto de coisas para planejar tudo. Houve dificuldade. O Fluminense passa por transição, sentimos isso. Isso não permitiu bom planejamento. A temporada foi de superação. De todo o esforço que se fez, é um grande aprendizado. Teremos um planejamento melhor, e o resultado será melhor [em 2015]", avaliou o treinador.

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;" CLASS="IMGEMBED

Cristóvão negou que eventuais atritos dentro do grupo tenham prejudicado o desempenho no Brasileirão. "Nunca tive problema com os jogadores. O comportamento deles foi sensacional. Isso não influiu. A gente percebe, como eu falei, que o grande problema foi se é se adequar à nova realidade. Coisa que o Flu ainda não conseguiu. É muito recente. Foi assim no ano passado, agora neste de novo. Teremos tempo para corrigir", comentou.

Para o treinador, o time tinha elenco suficiente para ao menos buscar uma vaga na Libertadores. "Tínhamos time para ir mais longe, mas muita coisa aconteceu em nossa trajetória. Quando arrumamos a defesa, tivemos lesões: Gum quebrou a perna e Henrique operou. Toda a vez que arrumávamos atrás, tinha problema. A equipe tem vocação ofensiva e, por isso, precisávamos arrumar lá atrás. Tivemos dificuldades. É um processo, requer tempo", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseCristóvão Borges

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.