Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Cristóvão elogia aplicação tática do Fluminense no Morumbi

'Sofremos até os 20 minutos do primeiro tempo, depois controlamos o jogo', disse o técnico da equipe carioca

Estadão Conteúdo

28 Setembro 2014 | 09h38

São Paulo e Fluminense fizeram um primeiro tempo de poucas emoções e raros lances de perigo na noite de sábado, 27, no Morumbi. Os quatro gols da partida saíram todos no segundo tempo. Mesmo assim, o técnico Cristóvão Borges viu motivos para elogiar o desempenho do time carioca na etapa inicial.

Na avaliação do treinador, o Fluminense soube se portar taticamente no primeiro tempo para não ser surpreendido pelo anfitrião. "Não achei que o primeiro tempo foi apagado. Tínhamos de controlar o ímpeto do São Paulo, sabíamos que seríamos pressionados e precisávamos jogar de forma compacta para tirar a velocidade do São Paulo", comentou. 

Cristóvão revela que a postura mais cadenciada no primeiro tempo fazia parte da estratégia dos cariocas. "Sofremos até os 20 minutos do primeiro tempo, depois controlamos o jogo. Conseguimos a posse de bola e crescemos no segundo tempo", aprovou o treinador.

Além de destacar o trabalho do grupo, ele fez questão de exaltar a atuação de Fred, autor do primeiro gol do jogo. "Acho injusto o que fizeram com ele. Essas manifestações contra o Fred são porque colocaram na conta dele e do treinador tudo o que deu de errado na seleção. Foi vendido, e passou a ser verdade. Todos os lugares aos quais íamos após a Copa acontecia isso. Até o fim do ano vamos mudar isso."

A vitória fora de casa renovou a confiança do treinador. Com os três pontos, o Fluminense chegou aos 40, dentro do G4. Para Cristóvão, o triunfo mostra que a equipe tem grandes chances de obter uma das vagas da zona de classificação à Copa Libertadores.

"As equipes que estão próximas e ficaram à frente do Fluminense também tiveram sequência de empates. Só que conquistaram uma vitória. Nós não, somente agora. Por isso estávamos atrás. O Grêmio estava assim e o Corinthians, também. Por isso ficamos para trás. Essa vitória sobre o São Paulo nos recoloca na briga com eles", projetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.