Cristóvão exalta atuação 'sólida e consciente' do Flu

Treinador valoriza vitória contra o Santos na Vila Belmiro e acredita em vaga na Libertadores. Com 48 pontos, o Fluminense é o 7º

Estadão Conteúdo

23 de outubro de 2014 | 10h17

O técnico Cristóvão Borges não escondeu a satisfação com a vitória de seu Fluminense sobre o Santos, por 1 a 0, na última quarta-feira, na Vila Belmiro, pelo Brasileirão. O gol de Edson já no fim da partida selou o resultado, mas de acordo com o treinador o triunfo foi definido pela atuação "sólida e consciente" do time carioca.

"Futebol não tem mistério. Ganhou está bom, perdeu, ruim. Fico muito contente pela partida que fizemos, contra uma equipe perigosa, de muita mobilidade e transição bem forte. O Fluminense jogou de forma sólida e consciente, o que ressalta a importância do resultado. Fundamental foi o nosso posicionamento. A equipe jogou compacta, que era a forma de tirar a velocidade e a transição do Santos", avaliou.

O resultado levou o Fluminense à sétima colocação no Brasileirão, com 48 pontos, três atrás do Atlético-MG, que fecha o G4. Com oito rodadas pela frente, Cristóvão sabe que a vaga na Libertadores do ano que vem é possível, mas para isso acredita que o time carioca precisa de mais regularidade, até para aproveitar o cansaço de alguns concorrentes.

"No Campeonato Brasileiro, todas as equipes que conseguem vitórias seguidas se aproximam do G4. Ficamos distantes porque isso demorou a acontecer. Temos que vencer no Maracanã e nos aproximarmos ainda mais da classificação à Libertadores. As próximas rodadas sempre terão confrontos diretos entre equipes que estão brigando conosco. Temos que aproveitar. Tem equipes na Copa do Brasil, com uma sequência desgastante, que acabarão pagando um preço mais para frente", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseCristóvão Borges

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.