Cristóvão lamenta derrota do Flamengo, mas exalta estreantes

O técnico Cristóvão Borges não escondeu a chateação com a derrota do Flamengo. Depois de duas vitórias seguidas, o time voltou a tropeçar no último sábado, dessa vez diante do Atlético-MG em casa, por 2 a 0, e retornou à zona de rebaixamento com somente sete pontos em oito partidas disputadas até o momento.

Estadão Conteúdo

21 de junho de 2015 | 10h13

"Ficamos bastante sentidos por termos perdido. Todos ficamos tristes, porque é desagradável, principalmente depois de duas vitórias seguidas, estávamos voltando ao Maracanã... Ficamos mais sentidos por isso", declarou após o apito final.

A comemorar, para o treinador, somente a atuação dos estreantes. Emerson Sheik foi titular e atuou ao longo dos 90 minutos, mesmo depois de um bom período sem jogar pelo Corinthians. Já Alan Patrick foi a campo no intervalo para deixar a equipe mais ofensiva e também agradou Cristóvão.

"O Emerson participou bem do jogo, que foi numa dinâmica muito intensa. Fiquei preocupado que não conseguisse os 90 minutos, mas jogou bem, se movimentou e procurou espaços. A substituição que fiz botando ele mais à frente foi para mudar a referência, porque estava muito marcado", disse, antes de avaliar que o Flamengo cresceu com a entrada de Alan Patrick.

"Para o que nós precisávamos no jogo, sim, porque estávamos com uma ligação entre o meio de campo e ataque que não era a que desejávamos. Começamos o meio com Canteros, Márcio (Araujo) e Everton e estávamos errando na saída de bola. Todos estavam se posicionando demais na defesa do Atlético, e isso complica."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoCristóvão Borges

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.