Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr|Agência Corinthians

Cristóvão não pede paciência para torcedor e diz aguentar pressão

Técnico do Corinthians tenta demonstra equilíbrio em meio a pressão

O Estado de S.Paulo

20 Agosto 2016 | 07h02

Após o empate por 1 a 1 com o Cruzeiro, em casa, e a derrota por 3 a 0 para o Grêmio, na última rodada, a pressão sobre o técnico Cristóvão Borges e seus jogadores aumentou ainda mais. O treinador tenta mostrar equilíbrio nas entrevistas coletivas e acredita ter o antídoto para acalmar os torcedores. 

"A visão do torcedor: ganhou, serve. Perdeu, não serve. Quando ganhamos quatro seguidas, não tinha nada disso. Passou a ter quando passamos a oscilar. Se voltarmos a ganhar, esquece-se isso. O Grêmio também estava sendo vaiado quando fomos lá. Os resultados vão acontecer e aí o cenário muda", disse o comandante corintiano.

Enquanto os ânimos não são acalmados, o treinador aceita ser alvo de críticas. "Temos potencial para fazer mais e vamos trabalhar para isso acontecer o mais rápido possível. Enquanto não acontece, a gente aguenta a porrada".

Consciente, Cristóvão sabe que pedir paciência para a torcida é em vão e a melhor forma de fazer o clima de paz voltar são com vitórias. "Não dá para falar para o torcedor ter paciência. Ele quer coisa prática, vitória, e precisamos trabalhar para ganhar". 

Como só joga na segunda-feira, o Corinthians poderá acompanhar toda a rodada neste final de semana e entrará em campo ciente das reais possibilidades de voltar a ficar entre as primeiras colocações. 

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
CorinthiansFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.