Criticado, Owen diz que não se importa em ser reserva

Michael Owen se tornou o Ronaldo da Inglaterra: acusado de estar fora de forma e de não mostrar raça em campo, o atacante é severamente criticado em seu país e pode acabar no banco de reservas. O inglês, porém, parece nem se importar com isso.?Não estou preocupado. Se tiver que sentar no banco, vou sentar, sem problemas. Na minha carreira, já tive que ficar no banco algumas vezes?, disse o atacante, em entrevista à Rádio BBC inglesa. ?Se o técnico achar que isso é a coisa certa a fazer, assim será. O futebol é assim.?Chamado de ?Wonder Boy? (Garoto Maravilha) por suas atuações na Copa de 98, quando tinha apenas 18 anos, Owen anda num momento ruim há pelo menos duas temporadas, desde que saiu do Liverpool: primeiro com a reserva no Real Madrid e depois com uma lesão logo em seu início no Newcastle. O atacante quebrou um osso do pé direito em dezembro. Passou por duas cirurgias, voltou a jogar no fim de abril, mas ainda não mostrou bom futebol na Copa - foi substituído no início do segundo tempo nos dois primeiros jogos da Inglaterra, contra Paraguai e Trinidad e Tobago, por Downing e Rooney, respectivamente.Owen afirma que tudo o que precisa é de ritmo de jogo. ?Nunca fui de me esquivar da responsabilidade. E se eu tiver chances de gol, tenho certeza que vou marcar?, disse o atacante. ?O problema é que até agora, em dois jogos, só tive uma chance. Mas eu ainda sou um bom finalizador e isso eu nunca vou deixar de ser ?, emenda, mostrando autoconfiança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.