Stefan Wermuth/ Reuters
Stefan Wermuth/ Reuters

Críticas a médica colocam Mourinho em nova polêmica

Treinador do Chelsea condena trabalho de Eva Carneiro na rodada

Estadão Conteúdo

12 Agosto 2015 | 12h29

Após a realização de uma partida do Campeonato Inglês, José Mourinho já está de novo envolvido em mais uma polêmica. Desta vez, o treinador fez duras críticas à médica Eva Carneiro pelo seu trabalho nos últimos minutos da partida de sábado, contra o Swansea, pela primeira rodada do Campeonato Inglês. De acordo com a mídia inglesa, ela não trabalhará mais em jogos do Chelsea.

O pecado de Eva Carneiro, a médica que ganhou espaço em parte da mídia internacional por sua beleza, foi ter entrado no campo de jogo, acompanhada do fisioterapeuta Jon Fearn, assim que o belga Eden Hazard caiu no gramado se contorcendo de dor. Naquele momento, o Chelsea jogava com um homem a menos e segurava o empate.

"Não estou satisfeito com minha equipe médica. Eles aturam de forma impulsiva e inocente. Não importa quem seja. O médico ou o assistente médica. Se está no banco de reservas, deve entender o jogo. Têm que saber que tínhamos um jogador a menos e que para atender um jogador ele tem que estar com um problema sério. Eu tenho certeza que Eden não tinha nada grave, estava cansado", reclamou Mourinho, após a partida.

Como os profissionais fizeram o atendimento no gramado, Hazard foi obrigado a sair de campo e só pôde retornar com a permissão do árbitro, posteriormente. Enquanto isso, o Chelsea ficou com apenas nove jogadores. Logo a polêmica estava lançada, com grande parte da opinião pública se colocando contra Mourinho. Não só pela forma com que criticou em público os membros da comissão técnica (que não têm autorização dele para falar com a imprensa e, assim, se defenderem), mas também pelo fato de Eva ser uma das poucas mulheres no futebol profissional masculino.

Para o diretor médico do Liverpool, por exemplo, Mourinho deve desculpas a Carneiro. "Nossa prioridade como médicos e fisioterapeutas é a saúde a segurança do jogador, é isso que eles priorizaram. Cumpriram seu trabalho e foram criticados por isso", disse Peter Brunker, que descreveu o comportamento de Mourinho como abominável.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.