Críticas de Kia, Passarella e Tevez

No vestiário do Corinthians, depois da derrota para o Botafogo, por 3 a 1, no Rio de Janeiro, houve um consenso: a equipe ainda está bem longe do ideal e foi muito mal nesta rodada do Brasileiro. Jogadores como Tevez, o técnico Daniel Passarella e até o presidente da parceira MSI, Kia Joorabchian, fizeram críticas à atuação do time neste domingo."A equipe não está jogando como um grupo. No primeiro tempo foi bem, mas no segundo ficou desorientada", afirmou Kia Joorabchian, em sua primeira entrevista coletiva falando em português, após sair do vestiário do estádio Luso-Brasileiro, onde permaneceu por cerca de 15 minutos.O presidente da MSI, que voltou neste domingo mesmo ao Brasil, se recusou a falar sobre sua viagem à Europa para a contratação de reforços. Apesar de não comentar, Kia trabalha para acertar com o atacante Luís Fabiano, que está no Porto. Já Passarella estava mais preocupado em apagar o incêndio depois da briga de Tevez com Marquinhos no treino de sexta-feira. "A imprensa só soube disso porque trabalha dentro do Corinthians. Em outros clubes acontece a mesma coisa, mas vocês não ficam sabendo porque não podem nem entrar", disse o treinador argentino, ainda tranqüilo com a situação do time no campeonato - 1 ponto ganho em 2 partidas disputadas. "Tivemos chance de fazermos 2 a 1 e não aproveitamos. Erramos. O grupo está bem, unido e triste por ter perdido o jogo."Em rápida entrevista, Tevez alertou que o grupo precisa "pensar" em melhorar. Esquivou-se de apontar culpados pela derrota e optou por fazer um jogo de palavras: "Não adianta o ataque fazer gols e a defesa tomá-los, ou a defesa não tomar e o ataque não fazer. O time como um todo está muito mal". Alguns dos principais jogadores do elenco, como o goleiro Fábio Costa, o meia Roger e o lateral-esquerdo Gustavo Nery, se recusaram a conversar com os jornalistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.