Críticas não abalam são-paulinos

Os jogadores do São Paulo se defendem das críticas pelo futebol pouco empolgante que o time mostra no Brasileiro. Escolhem uma maneira que acreditam não admitir contestação: a tabela do campeonato. Ao contrário do que acontecia quando o time era dirigido por Oswaldo de Oliveira, a equipe assume não ter a menor preocupação com o ?espetáculo?. ?Jogar bonito e não ganhar não leva a nada. Nós estamos somando pontos importantes e subindo como desejamos. Pode ser que o futebol não empolgue mesmo os torcedores, mas temos em mente o melhor para o clube. Estamos atuando de maneira eficiente e é isso que interessa", resume Júlio Baptista. ?O futebol hoje em dia é preenchimento de espaço. Não podemos de maneira alguma dar campo aos nossos adversários. Estando seguros na marcação temos como atacar. Esse é o princípio básico de uma equipe que pretende brigar pelo título do Campeonato Brasileiro. Ou seja: o São Paulo", assume Rojas. Tanto é verdade que o treinador não tem a menor preocupação em ficar sem Ricardinho para a partida contra o Coritiba. Irá colocar Gustavo Nery novamente no meio-de-campo e o time deverá atuar com quatro volantes: Alexandre, Adriano, Carlos Alberto e Gustavo Nery. ?O Gustavo irá jogar no meio onde está se saindo bem demais. O São Paulo tem se mostrado mais encorpado e equilibrado com ele no meio-campo." Quem está adorando essa situação são os laterais. ?O Rojas está sendo inteligente demais. Ele usa meu potencial ofensivo e o do Leonardo e não se preocupa com a defesa. Os volantes cuidam bem demais da nossa cobertura. Não há como negar que sem eles nós tínhamos uma preocupação maior quando atacávamos", revela Fabiano. E a esperança de o São Paulo ser um pouco mais ousado na quarta-feira termina diante do adversário. "O Coritiba está brigando como nós pela liderança do Brasileiro. Será uma briga direta. Não podemos perder", diz Rojas deixando claro o tipo de tipo de estratégia irá fazer o São Paulo adotar.

Agencia Estado,

06 de julho de 2003 | 16h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.