Croácia reclama ausência de Ronaldinho

O jogo contra a seleção brasileira não é, para a Croácia, apenas um amistoso de preparação para os próximos compromissos da equipe nas Eliminatórias. Ao contrário, este aspecto não importa muito, pois os próximos adversários dos croatas no Grupo 8 europeu são Islândia e Malta, as duas piores equipes da chave - o time do técnico Zlatko Kranjcar lidera com 16 pontos em 6 partidas e só tem a ameaçá-lo a Suécia (15), contra quem joga em 8 de outubro. O que interessa mesmo para os dirigentes locais é mostrar que o país tem condições de receber a fase final da Eurocopa de 2012 em parceria com a Hungria. Por isso, todo evento ligado ao futebol é tratado com grande pompa e qualquer problema é motivo para reclamações. No caso da partida com os brasileiros a chiadeira é por causa da ausência de Ronaldinho Gaúcho. Como o atacante, nomeado embaixador da ONU contra a fome e que deve renovar seu contrato com o Barcelona até 2014, não poderá enfrentar o Chile, dia 4, pelas Eliminatórias sul-americanas (está suspenso), Carlos Alberto Parreira optou por não convocá-lo para o amistoso em Split. A decisão desagradou ao presidente da Federação Croata, Vlatko Markovic. "Sem Ronaldinho, o Brasil não estará completo. E no contrato (assinado para a realização do amistoso), o Brasil se comprometeu a vir com todos os jogadores?, protestou Markovic, um ex-jogador que chegou a defender a Iugoslávia - na época, a Croácia era uma república da antiga Iugoslávia. O dirigente tem razão. Convidou para assistir ao jogo no Poljud Stadium, para 45 mil pessoas, algumas das mais influentes autoridades do futebol. Entre elas Joseph Blatter, presidente da Fifa; Lennart Johansson, o sueco que comanda a Uefa; Franz Beckenbauer, presidente do Comitê Organizador da Copa da Alemanha; e Pelé. E a bela cidade de Split foi escolhida para receber o encontro com os brasileiros por ser um dos mais importantes centros turísticos do país, e estar em ebulição nesta época do ano, verão na Europa e quando alemães, espanhóis e italianos, entre outros, superlotam as ruas do balneário localizado às margens do Mar Adriático. Na luta para ser sede da Eurocopa 2012, os croatas se empenham a fundo, pois têm adversários de peso: Itália, Grécia, Turquia, além da candidatura conjunta de Polônia e Ucrânia. A Uefa definirá a sede em dezembro de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.