Cronologia de Mano Menezes no Brasil - do início à demissão

SÃO PAULO - Mano Menezes, que foi demitido do cargo de técnico da seleção brasileira nesta sexta-feira, assumiu a equipe em julho de 2010. Do início ao fim, foram 39 jogos (26 vitórias, sete derrotas e seis empates), mais de 100 jogadores convocados e nenhum título importante conquistado - apenas os dois Superclássicos contra a Argentina. Acompanhe os principais momentos do ex-treinador com o time.

O Estado de S. Paulo

23 de novembro de 2012 | 19h16

 

24/7/2010 - Mano Menezes assume a seleção brasileira como 'plano B' da Confederação Brasileira de Futebol. Antes de chamar o então técnico do Corinthians, o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, havia convidado Muricy Ramalho - na época, no Fluminense -, que recusou o convite. "Sou o segundo técnico do Brasil atrás do Muricy, a quem admiro como pessoa. Estou bastante feliz, muitos queriam estar no meu lugar", disse Mano, em entrevista coletiva no CT corintiano.

 

26/7/2010 - Empossado como técnico, Mano Menezes faz sua primeira convocação - a seleção jogaria em 10 de agosto contra os EUA, em Nova Jersey. Na lista, o novo treinador chama uma equipe jovem, com apenas quatro remanescentes da campanha da Copa da África do Sul: Robinho, Daniel Alves, Ramires e Thiago Silva. "Excluídos" do Mundial apesar da pressão popular, os jovens Neymar e Paulo Henrique Ganso são chamados.

 

10/8/2010 - Tentando colocar em prática o discurso de renovação e futebol ofensivo, a seleção brasileira derrota os EUA por 2 a 0, em Nova Jersey, com gols de Neymar e Alexandre Pato.

 

17/11/2010 - Depois das vitórias contra Irã (3 a 0) e Ucrânia (2 a 0), a seleção brasileira fracassa em seu primeiro teste contra uma equipe de primeira linha do futebol mundial. Em Doha, no Catar, o Brasil é derrotado pela Argentina por 1 a 0, com gol de Messi.

 

9/2/2011 - A seleção brasileira começa a sua primeira temporada completa com Mano em outro amistoso diante de um "grande". Em Paris, o time perde outra vez, agora para a França, também por 1 a 0.

 

3/7/2011 - Depois de três outros amistosos, com vitórias contra Escócia (2 a 0) e Romênia (1 a 0), além do empate sem gols diante da Holanda, Mano estreia em sua primeira competição oficial com o Brasil: Copa América da Argentina. A seleção decepciona, com um empate por 0 a 0 contra a fraca Venezuela.

 

17/7/2011 - Após uma primeira fase ruim, com o empate por 2 a 2 com o Paraguai e a vitória por 4 a 2 contra o Equador, o Brasil reencontra a seleção paraguaia, agora nas quartas de final. Com o empate sem gols no tempo normal, a seleção é eliminada na cobrança de pênaltis. O técnico é respaldado por Ricardo Teixeira, mas afirmou que pediria as contas caso o trabalho não surtisse efeito. "O Brasil não vai chegar em 2014 cambaleando. Vai chegar firme. E, se eu sentir que não tenho condições de fazer isso, eu vou dizer."

 

10/8/2011 - Um ano após sua estreia no comando da seleção, Mano Menezes já enfrentava a desconfiança. Em Stuttgart, o Brasil faz seu primeiro jogo após a Copa América e perde, mais uma vez, para um "grande": é derrotada pela Alemanha, por 3 a 2. Em operação de socorro ao técnico, a CBF modifica os próximos adversários da seleção no ano. Nos sete jogos seguintes, seis vitórias - uma contra a Argentina, no primeiro Superclássico -, Gana, Costa Rica, México, Gabão e Egito.

 

28/2/2012 - No ano da Olimpíada de Londres, o Brasil faz seu primeiro jogo do ano contra a Bósnia e vence por 2 a 1. Naquele momento, a seleção ocupava o 7º lugar no ranking da Fifa. Mano, com 18 meses de trabalho, havia disputado 21 partidas e convocado 83 jogadores.

 

12/3/2012 - Ricardo Teixeira, que bancava a permanência de Mano Menezes, renuncia à presidência da CBF. Seu substituto, José Maria Marin, mantém o técnico no cargo. Andrés Sanchez também continua como diretor de seleções mas, posteriormente, faz cobranças ao treinador: "No momento, a seleção não agrada a ninguém."

 

20/4/2012 - Com pouco mais de um mês no cargo, o novo presidente da CBF revela que pretende ver a lista de jogadores convocados antes de Mano anunciar os nomes chamados. "É uma questão de estilo, de foro íntimo." A principal preocupação de Marin é a presença de Ronaldinho Gaúcho na convocação para a Olimpíada de Londres.

 

12/5/2012 - Na convocação para quatro amistosos antes dos Jogos Olímpicos, Mano Menezes não chama Ronaldinho. Nas partidas preparatórias para Londres, os primeiros na 'era Marin', a seleção vence Dinamarca (3 a 1) e EUA (4 a 1), mas perde para México (2 a 0) e Argentina (4 a 3). Apesar das duas derrotas, as boas atuações dos jovens brasileiros contra equipes adultas garantem um voto de confiança ao trabalho do técnico.

 

26/7/2012 - Na briga pelo inédito ouro olímpico, O Brasil estreia nos Jogos de Londres com uma vitória por 3 a 2 contra o Egito, no País de Gales.

 

11/8/2012 - Invicto após cinco vitórias em cinco jogos, a seleção brasileira enfrenta o México na finalíssima da Olimpíada de Londres. A confiança pelo inédito título, contudo, não se concretiza. O Brasil perde por 2 a 0 e fica, pela terceira vez, com a medalha de prata. Marin afirma que a derrota foi das mais duras e deixa o futuro do técnico sob análise.

 

15/8/2012 - A seleção reinicia os trabalhos, após a derrota  em Londres, para uma série de seis vitórias: derrota Suécia (3 a 0), África do Sul (1 a 0), China (8 a 0), Argentina (2 a 1), Iraque (6 a 0) e Japão (4 a 0). Em 14 de novembro, a seleção volta aos EUA e fica no 1 a 1 com a Colômbia.

 

21/11/2012 - Mano Menezes conquista o Superclássico das Américas pela segunda vez, com uma vitória nos pênaltis, apesar da derrota por 2 a 1 no tempo normal. Dois dias depois, o técnico é demitido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.