Cruyff culpa ministra por eliminação da Holanda

O ex-jogador Johan Cruyff afirmou nesta terça-feira que a ministra de imigração holandesa, Rita Verdonk, contribuiu para eliminar a Holanda da Copa, ao não conceder o passaporte holandês ao atacante Salomon Kalou, que é natural de Costa do Marfim - seu irmão, Bonaventure Kalou, defendeu a seleção africana durante o Mundial.Verdonk negou a Kalou, que joga no Feyenoord, a naturalização em caráter de urgência, para que o jogador pudesse defender a seleção holandesa no Mundial da Alemanha. A Holanda acabou sendo eliminada no último domingo, nas oitavas-de-final, após enfrentar Portugal, em uma das partidas mais violentas da Copa. Antes do Mundial, o técnico Marco van Basten expressou seu desejo de chamar Kalou para defender a seleção, mas para isso o atacante teria que conseguir a naturalização o mais rapidamente possível. A ministra, contudo, negou o pedido, afirmando que Kalou deveria seguir o procedimento que, por lei, é adotado normalmente e que pode levar meses."A Holanda passou por uma situação delicada. Se Arjen Robben e Robin van Persie não pudessem jogar, não haveria mais alternativas. Um ministro deveria estar a serviço do país e não foi isso o que demonstrou Verdonk", reclamou Cruyff.O ex-jogador e ex-técnico do Barcelona pediu a demissão da ministra e comparou a decisão de Verdonk ao trabalho de um diretor-técnico de um clube. "Se um jogador de qualidade técnica como Kalou quiser fazer parte da minha equipe e meu diretor não aceitasse, essa decisão teria conseqüências. E o mesmo deve acontecer no caso de Verdonk", concluiu Cruyff.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.