Cruyff exalta Messi e o vê acima de Cristiano Ronaldo

O desempenho de Messi nos últimos anos está fazendo com que o argentino ganhe cada vez mais admiradores. Nesta sexta-feira, foi a vez de o ex-jogador holandês Johan Cruyff, conhecido por ser muito crítico em suas análises, exaltar o talento do atacante do Barcelona e afirmar que ele tem condições de se tornar um dos melhores da história, entre nomes como Pelé, Maradona e Di Stéfano.

AE-AP, Agência Estado

15 de abril de 2011 | 09h55

"Ele está nesse caminho. Mas ele só jogou quatro anos neste nível, ou algo assim, e os outros jogaram ao menos 14 anos, então ele tem mais dez anos para seguir com a mesma qualidade e, espero, com o mesmo sucesso", declarou.

Os números comprovam a grande forma do argentino. Nos últimos 99 jogos do Barcelona, ele marcou 95 gols. Apenas nesta temporada, Messi anotou 48 gols, em 46 jogos, quebrando o recorde do clube, que era de Ronaldo, com 47 gols na temporada 1996/1997.

Cruyff apontou que Messi tem tudo para um dia estar no mesmo patamar que Maradona. Para isso, no entanto, seria necessário um título de Copa do Mundo, de acordo com o holandês. "Messi tem qualidades similares às de Maradona, que também era um jogador que tinha muita qualidade individual. As pessoas ligarão um bom jogador com os resultados alcançados por ele e Maradona, claro, ganhou uma Copa do Mundo e é isso que Messi não ganhou", afirmou.

Os elogios do ex-jogador, no entanto, não se estendem a Cristiano Ronaldo. Tido por muitos como o segundo melhor jogador da atualidade, justamente atrás de Messi, o português parece não encantar tanto Cruyff, que o elogia, mas não acredita que um dia estará entre os melhores da história.

"Para ele (Cristiano Ronaldo) será um pouco mais difícil, eu acho. Todas as pessoas mencionadas eram ''jogadores de rua'' (mais habilidosos) e Cristiano Ronaldo é mais um jogador físico, enquanto os outros mencionados não são físicos, mas sim jogadores puramente técnicos", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.