Ahmed Jadallah / Reuters
Ahmed Jadallah / Reuters

Cruzeiro anuncia parceria com o Raja Casablanca, algoz do Atlético-MG no Mundial

Segundo o clube mineiro, interação entre torcidas foi fundamental para o início da relação institucional

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2021 | 08h00

O Cruzeiro anunciou uma parceria com o Raja Casablanca, equipe conhecida no Brasil principalmente por ter eliminado o arquirrival do time celeste, o Atlético-MG, na semifinal do Mundial de Clubes de 2013. Os dois clubes divulgaram o acordo nas redes sociais.

"Cruzeiro e Raja anunciam uma parceria digital. Os dois gigantes e melhores clubes do Século 20 no Brasil e no Marrocos iniciam uma parceria de engajamento e interações nas redes sociais", publicou o time mineiro na internet.

Segundo o Cruzeiro, a interatividade entre as torcidas dos dois time após a semifinal de 2013. "Nos últimos anos, torcedores de Cruzeiro e Raja compartilham um alto nível de engajamento digital, fato que foi notado pelos clubes. Com a parceria, os dois gigantes miram o crescimento de suas marcas no Brasil e no Marrocos", justificou ainda o time brasileiro.

O Raja também destacou a parceria em suas redes sociais. "Muito obrigado aos nossos amigos do Brasil. Também parabenizamos o Cruzeiro pelo seu centenário e desejamos tudo de bom", afirmou o clube marroquino.

Na semifinal de 2013, o Atlético-MG era o franco favorito e contava com uma estrela mundial, Ronaldinho Gaúcho, em seu elenco. O astro até fez o gol de empate do Atlético, após Iajour abrir o placar para os marroquinos. Contudo, Moutaouali e Mabide fizeram mais dois para o Raja, que foi o vice-campeão mundial após perder para o Bayern de Munique na final.

Momentos assim não são novidade na rivalidade mineira: em 2016, o Atlético-MG deu camisa personalizada e uma placa ao ex-meiocampista argentino Verón. O argentino foi chamado de 'ídolo desde 2009', ano em que fez a diferença para o Estudiantes na final da Libertadores contra o Cruzeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.