Matilde Campodonico/AP
Matilde Campodonico/AP

Cruzeiro aposta no Mineirão para reagir na Copa Libertadores

Nesta edição do torneio continental, o time mineiro perdeu os dois jogos que disputou como visitante

Agência Estado

12 de março de 2014 | 11h24

MONTEVIDÉU - A derrota por 2 a 0 para o Defensor, no Uruguai, complicou a situação do Cruzeiro no Grupo 5 da Copa Libertadores, mas os jogadores tentam manter a tranquilidade e apostam na força do time como mandante para reagir no torneio. Assim, acreditam que o time vai se recuperar na próxima semana, no dia 20 de março, quando receberá o próprio Defensor no Mineirão.

"A gente tem que fazer um bom jogo de volta contra eles, buscando os três pontos. Dentro de casa a gente tem que vencer, fazer o nosso dever de casa e depois pensar mais para frente, no jogo fora de casa contra a Universidad de Chile, para a gente buscar os três pontos fora de casa também", analisou o zagueiro Bruno Rodrigo.

Nesta Libertadores, o Cruzeiro perdeu os dois jogos que disputou como visitante - antes foi derrotado pelo peruano Real Garcilaso por 2 a 1. Já em casa, goleou a Universidad de Chile. Por isso, o goleiro Fábio avaliou que o time tem totais chances de reagir imediatamente, ainda mais contando com o apoio do seu torcedor no Mineirão diante do Defensor.

"O grupo está todo unido e sabe das condições que têm, agora é jogo em casa, temos que conseguir a vitória novamente para nos aproximarmos do nosso objetivo que é a classificação. Vamos trabalhar e, com o apoio do torcedor, estaremos aptos a fazer um grande jogo para sairmos com a vitória", comentou.

Em terceiro lugar no Grupo 5 da Libertadores, o Cruzeiro vai encarar o Tombense, fora de casa, neste domingo, pela última rodada da fase de classificação do Campeonato Mineiro. Mas como já avançou no torneio estadual com a melhor campanha, o foco está mesmo voltado para o jogo com o Defensor na semana que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.