Washington Alves/Vipcomm
Washington Alves/Vipcomm

Cruzeiro bate Atlético-GO e continua na luta pelo título do Brasileirão

Equipe do técnico Cuca mantém pressão sobre o Corinthians e o Fluminense pela liderança

MARCELO PORTELA, Agência Estado

29 de setembro de 2010 | 22h18

BELO HORIZONTE - O Cruzeiro se manteve na disputa pela ponta da tabela do Campeonato Brasileiro ao garantir os três pontos com a vitória por 3 a 0 sobre o Atlético Goianiense, nesta quarta-feira, em Sete Lagoas (MG), pela 26.ª rodada da competição. Com o resultado, o time mineiro chegou aos 47 pontos, enquanto que o goiano permanece na zona de rebaixamento, com 26.

Veja também:

Brasileirão - tabela Classificação / lista Resultados

No primeiro tempo da partida, os jogadores do Cruzeiro, que vinham de uma derrota por 4 a 1 para o Santos, parecem ter sentido o puxão de orelha que o técnico Cuca deu no início da semana, com uma reunião de mais de uma hora com o time. Desde que entrou em campo, partiu para cima do adversário e obrigou o goleiro Márcio, do Atlético, a trabalhar bastante, como aos dez minutos, quando se chocou com Farías em uma boa saída para impedir o primeiro gol celeste.

Já os goianos pareciam não se encontrar no gramado e, até os dez minutos de jogo, ainda não haviam conseguido passar do meio de campo. E apelou para as jogadas violentas, como o carrinho dado por Marcão em Cláudio Caçapa, aos 13, que rendeu um cartão amarelo ao jogador do Atlético. Aos 21, foi a vez de Gilson entrar com violência em Diego Renan e receber o amarelo. O lateral-esquerdo do Cruzeiro teve que ser atendido fora do campo e ainda tentou voltar para o jogo, mas não resistiu à dor no ombro e foi substituído por Pablo.

A primeira tentativa de ataque do Atlético ocorreu apenas aos 25 minutos. Marcão recebeu passe de William, mas o árbitro marcou o impedimento. Aos 26, ainda tentou um contra-ataque rápido com Victor Ferraz, que foi derrubado por Henrique. Na cobrança, Robston soltou uma bomba que obrigou Fábio a se esforçar para fechar o ângulo e ceder o escanteio.

O primeiro gol saiu aos 30 minutos. Após cobrança de escanteio por Montillo, Henrique desviou de cabeça e Farías emendou para o gol, mas Márcio defendeu. No rebote, Cláudio Caçapa só escorou e abriu o placar. Pouco mais de um minuto depois, o Cruzeiro tentou outro ataque com Thiago Ribeiro, que recebeu a bola de Farías na direita, driblou duas vezes Daniel Marques e chutou para uma boa defesa de Márcio.

A única opção de ataque do Atlético durante todo o primeiro tempo foi o lançamento para Marcão, que parava na defesa celeste nas poucas vezes em que tentava avançar. Já o Cruzeiro manteve pressão constante até que, aos 44 minutos, Montillo recebeu cruzamento rasteiro de Thiago Ribeiro, fez a finta em Victor Ferraz e ampliou para o Cruzeiro.

Para tentar uma reação, o técnico René Simões, do Atlético, fez duas substituições no intervalo. Juninho entrou em campo no lugar de Pituca, enquanto Diguinho deu lugar a Anailson. A princípio, as mudanças deram a impressão de ter surtido efeito e o time goiano parecia gostar mais do jogo.

Aos cinco minutos, Anailson já cruzava a bola na entrada da área celeste para Robston emendar e obrigar Fábio a fazer bela defesa. O Cruzeiro, por sua vez, parecia ter perdido o pique e começou a dar espaço para o adversário. Também passou a cometer erros, como o chute de Montillo aos 14 minutos. O novo ídolo celeste fez bela jogada e disparou uma bomba na entrada da área, mas mandou a bola longe do gol de Márcio.

Aos 21, René Simões fez sua terceira alteração, com Keninha no lugar de William. Na sequência, Daniel Marques, que havia levado cartão amarelo há cerca de dez minutos por uma entrada de sola em Fabrício, cometeu falta sem bola em Farías na entrada da área e foi expulso.

Cuca havia posto Roger no aquecimento para entrar no lugar de Montillo, que já demonstrava cansaço. O treinador ainda pediu para o argentino aguentar e cobrar a falta. A bola até passou perto do ângulo do gol adversário, mas mais uma vez foi para fora e a alteração foi feita na sequência.

O Atlético perdeu as poucas chances que criou. A principal delas foi um chute após uma bela jogada de Victor Ferraz, que recebeu de Anailson, limpou a defesa e bateu forte no canto esquerdo, exigindo perícia de Fábio para impedir o gol.

No fim do segundo tempo, o Cruzeiro voltou a crescer na partida, principalmente com a entrada de Wallysson. Aos 31 minutos, ele entrou no lugar de Thiago Ribeiro, que também mostrou bastante esforço no jogo, mas foi vencido pelo cansaço. Seis minutos depois de entrar, Wallysson perdeu um gol na cara de Márcio, mas, outros seis minutos depois, recebeu um lançamento de Fabrício na área e chutou forte, fechando o placar.

O próximo desafio do Cruzeiro será contra o Atlético Paranaense, neste sábado, às 18h30, novamente na Arena do Jacaré. No mesmo dia, às 21 horas, a equipe goiana recebe o Atlético Mineiro, no estádio Serra Dourada, em Goiânia.

  Cruzeiro - 3 - Fábio; Rômulo; Claudio Caçapa, Edcarlos e Diego Renan (Pablo); Fabrício , Henrique, Everton e Montillo (Roger); Thiago Ribeiro (Wallysson) e Ernesto Farías. Técnico: Cuca.

 Atlético-GO - 0 - Márcio; Victor Ferraz, Gilson , Daniel Marques e Chiquinho; Agenor, Pituca (Juninho), Robston e Diguinho (Anailson); Willian (Keninha) e Marcão . Técnico: René Simões.

Gols - Cláudio Caçapa, aos 30, e Montillo, aos 44 minutos do primeiro tempo; Wallysson, aos 43 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP).

Renda - R$ 135.894,50.

Público - 10.869 pagantes.

Local - Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.