Cruzeiro busca reabilitação na Libertadores

Com a obrigação de vencer, o Cruzeiro entra em campo nesta quarta-feira, no Mineirão, às 21h45, para enfrentar o Universidad de Concepción, do Chile, pela Taça Libertadores da América. Depois de perder a liderança do Grupo 3 da competição sul-americana, após a derrota por 1 a 0, há uma semana, para o Santos Laguna, em Torreón, no México, o time mineiro encara o lanterna da chave, que, com apenas um ponto somado, não tem mais possibilidades de classificação para as oitavas-de-final. O Cruzeiro está em segundo lugar no grupo, com sete pontos. Somente os campeões de cada um dos nove grupos passam automaticamente para a próxima fase. Se ficar em segundo lugar, a equipe mineira terá a chance de se classificar como um dos cinco melhores vice-líderes ou disputar uma repescagem. Mas, na Toca da Raposa, uma vitória é considerada praticamente um passaporte para as oitavas-de-final. Se empatar ou perder, o time do técnico Paulo César Gusmão ficará na dependência de um resultado positivo no dia 15 de abril, contra Caracas, na Venezuela. A maior novidade na equipe deverá ser a entrada de Maicon no lugar de Maurinho. O treinador estuda também mudanças no ataque, com a entrada de Lima no lugar de Jussiê. A dúvida maior está no meio-campo. O meia Alex, capitão do time, sofreu uma contratura na coxa direita e será reavaliado momentos antes do jogo. Se depender do craque mineiro, no entanto, sua presença está garantida. "Eu vou jogar. Até senti um incômodo muito grande no segundo tempo da partida com a URT (pelo Campeonato Mineiro, sábado), mas as dores sumiram", disse o jogador, que nesta terça-feira comemorou a convocação para a seleção brasileira para a partida do dia 31, em Assunção, contra o Paraguai, pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo da Alemanha. Alex recomenda um Cruzeiro "bem decidido, bem determinado", para evitar surpresas. "Acredito num jogo muito difícil."

Agencia Estado,

16 de março de 2004 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.