Cruzeiro busca substituto para Alex

O Cruzeiro já negocia a contratação de um substituto para o meia Alex, que não vai continuar no clube mineiro após o término de seu contrato, dia 30 de junho. Dois jogadores brasileiros que atualmente defendem times espanhóis estão na mira da diretoria: os armadores Rodrigo Fabri, do Atlético de Madrid, e Djalminha, do La Coruña. As negociações com Fabri estão mais adiantadas, de acordo com o vice-presidente de Futebol do Cruzeiro, Zezé Perrella. "Eu diria 80% acertado. Nós temos a palavra do Rodrigo que a prioridade é do Cruzeiro e as bases salariais já foram praticamente acertadas. Então estou muito otimista que nós vamos ter o Rodrigo aí para o lugar do Alex", disse o dirigente, antes de embarcar para Paris, onde integra, a convite da CBF, a delegação da seleção brasileira que nesta quinta-feira enfrenta a França, amistoso que faz parte das comemorações pelo centenário da Fifa. Nesta terça-feira, em entrevista à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, o dirigente admitiu que o clube também tem interesse por Djalminha. Um empresário do jogador entrou em contato com a diretoria do Cruzeiro informando que o atleta tem interesse em jogar no Brasil assim que terminar a temporada espanhola. "É um jogador que qualquer clube gostaria de ter", destacou Perrella. No entanto, segundo o dirigente, o Corinthians também tem interesse na contratação do meia. "Eu soube que o Corinthians está negociando com ele." Perrella admite que o Cruzeiro tem pressa para definir o substituto da camisa 10, já que Alex disputará poucas partidas pelo clube até o final de seu contrato. O destino mais provável do camisa 10 é o Fenerbahce, da Turquia, que desde o ano passado apresentou uma proposta para tirá-lo da Toca da Raposa. A eliminação do clube mineiro da Taça Libertadores precipitou o anúncio de sua saída. Em tom de despedida, Alex afirmou antes de se juntar ao grupo da seleção que desta vez espera repetir na Europa o sucesso obtido no futebol brasileiro. Há cerca de dois anos, o meia teve uma passagem frustrada pelo Parma, da Itália. Contratado no final de 2001, ele se desligou do clube ainda no primeiro semestre de 2002 para retornar ao Cruzeiro, a convite de Vanderlei Luxemburgo. Segundo o vice-presidente do Cruzeiro, Alex tem propostas que significam "a redenção financeira dele". "O Alex só tem mais 45 dias até o final de junho e são várias convocações nesse período. O Cruzeiro tem com ele muito pouco tempo.Ele tem sido o grande maestro do time, é um camisa 10 que seguramente vai fazer falta", disse Perrella. Outro nome que circula os bastidores do clube mineiro como possível substituto de Alex, é o de Felipe, do Flamengo.Mas os dirigentes não confirmam o interesse, tratando a possibilidade como apenas uma "especulação". Baixas - Além de Alex, outros titulares podem deixar o Cruzeiro no momento em que o técnico Emerson Leão assume o comando da equipe. A diretoria já anunciou que uma das baixas deverá ocorrer na lateral-direita. Um dos dois jogadores da posição - Maicon ou Maurinho - será negociado, com chances maiores para o primeiro, atual titular do time. Outro que pode deixar a Toca da Raposa é o zagueiro Cris. O jogador está sendo oferecido à Juventus, clube italiano que já teria demonstrado interesse em contratá-lo. "Eu acho que nós temos de buscar um mercado para o Cris na Europa. Eu não sei ainda se a punição dele vale também para o exterior", afirmou Perrella, se referindo à suspensão de nove meses determinada pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Mineira de Futebol (FMF). O zagueiro joga atualmente com base em um efeito suspensivo concedido pelo próprio TJD, mas a expectativa é que um novo julgamento reitere a punição. "Não nos resta outro caminho a não ser tentar negociar o Cris." Aproveitando a estadia na Europa, Perrella disse também que tentará resolver a situação do lateral-esquerdo Sorín. O dirigente não acredita que o Paris Saint-Germain - seu clube atual - ficará em definitivo com o argentino, ídolo do Cruzeiro em 2001. O clube francês tem a preferência de adquirir os direitos econômicos do jogador até 31 de maio, por US$ 2,3 milhões, mas Perrella pretende indicá-lo para o Fenerbahce. "Se porventura não conseguirmos, não resta outro caminho senão levá-lo de volta, coisa que ele não quer e nem o Cruzeiro. O Sorín hoje está com um salário acima da média no Brasil." Segundo a assessoria de imprensa do Cruzeiro, Leão já foi informado sobre as prováveis baixas no grupo, mas ainda não conversou com os dirigentes sobre futuras contratações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.