Cruzeiro busca substituto para Deivid

O atacante Alex Alves, da Portuguesa, está na mira do Cruzeiro, que corre contra o tempo para tentar contratar um substituto de Deivid. A transferência do artilheiro para o Bordeaux, da França, pegou de surpresa os dirigentes mineiros, admitiu nesta segunda-feira o vice-presidente de Futebol do clube, Zezé Perrella. Ele disse que está ?conversando" com a diretoria da Lusa na tentativa de levar para a Toca da Raposa o goleador da equipe paulista. Perrella ressaltou que os dirigentes da Portuguesa estão ?relutantes" em liberar Alex Alves, mas o Cruzeiro espera uma resposta definitiva ainda esta semana. A pressa se justifica porque o prazo para a inscrição de novos jogadores na disputa da Série A termina no próximo dia 29. ?Nós temos somente uma semana para tentar viabilizar isso", salientou o dirigente, que na semana passada esteve na Europa tentando acertar a contratação de outro atacante para o clube. Perrella lembrou que, até o final do campeonato, o colombiano Aristizábal poderá ser convocado para servir a seleção de seu país, desfalcando ainda mais o ataque. ?Estamos preocupados. O Cruzeiro tem de manter o seu padrão." O vice-presidente cruzeirense revelou também que a diretoria sondou o Tigres, do México, para tentar contratar o ex-atacante do Atlético Paranaense, Kléber. Segundo ele, a negociação é difícil, pois o clube mexicano só admite vender o jogador - que teria custado US$ 4,5 milhões. O dirigente mineiro, porém, afirmou que a diretoria não pretende fazer nenhuma ?loucura". ?Não vamos cometer nenhum tipo de loucura. Se der para trazer algum jogador dentro da realidade do Cruzeiro vamos fazer. Do contrário, é contar com o que nós temos aí". Na goleada sobre o Paraná Clube, sábado, Mota foi o companheiro de Aristizábal no ataque. Além de Alex Alves e Kléber, Perrella disse que o clube tem interesse em Alex, ex-atacante do Goiás, que atualmente está no futebol francês. Chantagem - O vice-presidente não escondeu a irritação com a conduta assumida por Deivid durante sua transferência. ?Fico chateado às vezes com a atitude de determinados jogadores. Na quarta-feira, contra o Vasco, ele já sabia que estava vendido, apesar de o Cruzeiro não ter recebido nenhuma proposta oficial. E ele foi lá beijar a camisa do Cruzeiro e tudo mais para fazer uma média com a torcida. Na verdade, ele estava morrendo de vontade de ir embora para ganhar o dinheiro dele." Para Perrella, o jogador fez ?uma chantagem emocional" com a diretoria. ?A própria mãe do jogador me ligou dizendo que a gente estava prejudicando a família inteira, que ele tem mais cinco irmãos, que não podia fazer isso."

Agencia Estado,

21 de julho de 2003 | 18h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.