Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Cruzeiro busca superar desfalques para encerrar jejum antes de pausa

De volta ao Castelão, equipe comandada por Rogério Ceni quer voltar a se encontrar com a vitória

Redação, Estadão Conteúdo

12 de junho de 2019 | 08h26

Classificado para as quartas de final da Copa do Brasil e com a segunda melhor campanha da fase de grupos da Libertadores, o Cruzeiro ainda está muito longe de ser protagonista no Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, porém, às 21 horas, contra o Fortaleza, no Castelão, o time de Mano Menezes vai buscar colocar fim a um jejum de oito jogos sem vitória.

São cinco partidas pelo Brasileirão sem vencer desde a terceira rodada, quando bateu o Goiás, em casa, por 2 a 1, mais duas pela Copa do Brasil e uma pela Libertadores. Nos torneios de mata-mata, conseguiu se manter inabalável e seguiu adiante, mas o mau desempenho no Brasileirão deixou a equipe com apenas oito pontos em oito rodadas e uma 14ª posição que não pode ser considerada nada satisfatória para quem ainda sonha com o título.

O zagueiro Dedé, no entanto, faz uma leitura otimista do momento e procurou analisar as atuações do time sob outro aspecto. "Os últimos jogos, apesar dos empates, foram muito bons. Contra o São Paulo, mostramos um jogo diferente, em que poderíamos ter saído com a vitória. Por detalhes não saímos. Contra o Corinthians, o próprio goleiro deles foi o destaque do jogo. Contra o Fluminense, um torneio diferente (Copa do Brasil), ainda mais que tomamos um gol antes, foi um jogo mais exposto", explicou o camisa 26.

Para retomar o caminho das vitórias no Castelão, o defensor aposta na experiência do elenco diante de um adversário forte dentro de seus domínios. "Teremos que lidar com isso, jogar com essa pressão, mas nosso time é maduro e vai saber jogar contra isso", apontou Dedé, após o último treino da equipe mineira, no CT do Floresta, na capital cearense.

Além dos comandados de Rogério Ceni, o técnico cruzeirense Mano Menezes terá de lidar con muitos desfalques. Os laterais Edilson (ainda com edema na panturrilha direita)e Egídio (com dengue), o volante Lucas Silva (dores na coxa), o meia Rodriguinho (dor lombar) e o atacante Fred (edema na coxa) estão de fora e sequer viajaram ao Ceará.

Volta para casa

O Fortaleza finalmente está de volta para sua casa. Após o título da Copa do Nordeste sobre o Botafogo-PB, fora de casa, o clube ainda fez mais três jogos consecutivos como visitante, com três derrotas para Flamengo, Athletico-PR e Grêmio, sendo que o jogo na Arena da Baixada foi pela Copa do Brasil. Os resultados colocaram o time dirigido por Rogério Ceni na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro precisando vencer o Cruzeiro de qualquer forma.

A partida deve ter uma mistura de festa da torcida com um clima de apreensão, principalmente pela necessidade de triunfo. As derrotas mantiveram o Fortaleza com sete pontos e o clube pode entrar na parada para a Copa América na zona de rebaixamento, passando os meses de junho e julho à beira da crise.

Rogério Ceni já sabe que vai ter três desfalques certos para o jogo em casa. Os atacantes Edinho e Wellington Paulista estão em processo de recuperação de lesão e estão vetados, podendo atuar novamente só no segundo semestre. Osvaldo foi expulso contra o Grêmio na derrota por 1 a 0 em Porto Alegre e está suspenso automaticamente.

Para aumentar ainda mais os problemas do treinador, o zagueiro Roger Carvalho está com dores no músculo adutor da coxa e por enquanto é dúvida - depende de uma última avaliação dos médicos. Com as baixas, Marlon deve ganhar uma possibilidade no meio de campo, com Romarinho, Marcinho e Kieza mais avançados. Felipe Alves deve ser mantido no gol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.