Cruzeiro EC
Cruzeiro EC

Cruzeiro cede empate ao CSA em Maceió; Pezzolano é expulso após puxar árbitro

Com o resultado, conjunto celeste não quebra o recorde de pontos no 1º turno da Série B

Redação, Estadão Conteúdo

20 de julho de 2022 | 21h45

O Cruzeiro empatou com o CSA, por 1 a 1, nesta quarta-feira à noite, no estádio Rei Pelé, pela 19ª rodada, a última do primeiro turno da Série B do Campeonato Brasileiro. Líder folgado e campeão simbólico do turno, o time mineiro não conseguiu quebrar o recorde de pontos num só turno, que ainda pertence ao Vitória - em 2006 fez 44 pontos. Com 42 pontos, ele se igualou à campanha do Criciúma, em 2012 e ao Palmeiras em 2013.

Em termos de acesso, o Cruzeiro continua como grande favorito. Está sete pontos na frente do Vasco (35) e 14 pontos do quinto colocado, o Tombense, com 28. O CSA, apesar da melhora técnica, continua na zona de rebaixamento, com 20 pontos, em 17º lugar.

Animado por sua vitória sobre o Vila Nova, por 2 a 1, o CSA impôs uma marcação forte e se posicionou na frente, dando trabalho para o sistema de marcação do Cruzeiro. Mas o time mineiro mostrou eficiência no ataque e abriu o placar aos 14 minutos. Da esquerda surgiu o cruzamento de Bidu, que resvalou em Breno e subiu para a cabeçada certeira de Luvannor.

O visitante só teve uma segunda chance aos 22 minutos, num chute de Luvannor que desviou em Edson e quase atrapalhou a defesa de Marcelo Carné. O CSA assustou num chute de Osvaldo que bateu no zagueiro Luís Felipe e saiu perto da trave, aos 32 minutos.

O técnico Paulo Pezzolano exagerou na reclamação aos 44 minutos, recebeu o cartão amarelo duas vezes e foi expulso. Tudo porque não se conformou com a falta de Edson sobre Rômulo. Não é a primeira vez que o técnico é expulso, inclusive, estava pendura com dois cartões amarelos.

O Cruzeiro tentou se impor no início do segundo tempo, pressionando o CSA em seu campo defensivo. Mas sofreu um contra-ataque mortal aos dois minutos. Lucas Barcelos recebeu passe em velocidade, invadiu a área e tocou do lado do goleiro Rafael Cabral, deixando tudo igual.

A torcida se animou e passou a jogar com o time que poderia ter virado o placar aos oito minutos em outro descuido da defesa cruzeirense. Gabriel recebeu do lado direito e deu um drible de corpo no seu marcador, chutando cruzado. A bola, porém, foi para fora, perto da trave direita. A torcida não acreditou e suspirou.

As mudanças do técnico Alberto Valentim não surtiram o efeito desejado, sem contar que perdeu, contundido, Lucas Barcelos, o seu atacante mais perigoso. O Cruzeiro equilibrou as ações e não se acovardou, porém, sem também ser agudo no ataque. Nos minutos finais os dois times arriscaram chutes de longa distância.

Na abertura do segundo turno, o Cruzeiro volta ao Mineirão, onde tem 100% de aproveitamento, diante do Bahia, outro time que está dentro do G-4. O jogo acontecerá no sábado, a partir das 16h. O CSA vai jogar domingo diante do Criciúma, em Santa Catarina, a partir das 19h.

FICHA TÉCNICA

CSA 1 X 1 CRUZEIRO

CSA - Marcelo Carné; Diego Renan, Wellington Nascimento, Lucão e Edson; Geovane, Giva Santos (Igor) e Gabriel; Osvaldo (John Mercado), Lucas Barcelos (Bruno Mezenga) e Rodrigo Rodrigues (Lourenço). Técnico: Alberto Valentim.

CRUZEIRO - Rafael Cabral; Rômulo, Luís Felipe (Oliveira), Wagner Leonardo e Matheus Bidu (Rodolfo); Léo Pais, Adriano, Neto Moura, Machado, Breno e Adriano (Pedro Castro); Luvannor e Daniel Júnior (Edu). Técnico: Paulo Pezzolano.

GOLS - Luvannor, aos 14 minutos do primeiro tempo; Lucas Barcelos, aos 2 do segundo.

ÁRBITRO - Flávio Rodrigues de Souza (SP).

CARTÕES AMARELOS - Edson, Giva Santos e Lucas Barcelos (CSA) e Rafael Cabral e Luís Felipe (Cruzeiro).

CARTÃO VERMELHO - Paulo Pezzolano (Cruzeiro).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.