Cruzeiro com novidades contra Baraúnas

Em situação cômoda após a goleada por 7 a 3 no jogo de ida, em Mossoró (RN), o Cruzeiro vai entrar em campo com uma equipe mista no jogo contra o Baraúnas, nesta quarta-feira, no Mineirão, pela Copa do Brasil. O time mineiro garante vaga nas semifinais da competição mesmo se perder por quatro gols de diferença, desde que com placares inferiores ao da primeira partida. Com tanta folga, o técnico Levir Culpi poderá promover a estréia de dois jogadores: o meia-atacante Kerlon e o zagueiro Argel. A maior expectativa é quanto à estréia do primeiro, de apenas 17 anos, que passou a integrar o grupo na última sexta-feira e pela primeira vez foi relacionado para um jogo profissional. Kerlon integrou a Seleção Brasileira no Sul-Americano Sub-17 e foi considerado o melhor jogador do torneio disputado em abril, na Venezuela. A expectativa é que ele entre no decorrer da partida. ?Quero mostrar meu valor, independentemente se o jogo é fácil?, disse o jovem atleta, que se notabilizou pela surpreendente técnica de conduzir a bola com a cabeça. Kerlon está entusiasmado com a possibilidade de estrear profissionalmente. Se for escalado, ele promete ?jogar de igual para igual?. No Cruzeiro há pouco mais de um mês, Argel não quer saber de corpo mole contra o Baraúnas. Fiel ao seu estilo, ele pregou seriedade. ?Futebol não se ganha com camisa, com prestígio. Futebol se ganha dentro de campo e esse é um alerta para nós. Para muitos, parece que nós já estamos na próxima fase. Nós temos que ter respeito com a equipe adversária e tratar com seriedade a equipe do Baraúnas?, afirmou o zagueiro. Para definir a equipe, o técnico Levir Culpi decidiu poupar os volantes Marabá e Maldonado e o armador Adriano, que não foram sequer relacionados. O lateral-esquerdo Athirson, suspenso, e o zagueiro Leandro, lesionado no tornozelo direito, também não jogam contra o time potiguar. Levir poderá ainda deixar no banco titulares como o goleiro Fábio, o lateral Maurinho e até o atacante Fred, que seriam utilizados em caso de necessidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.