Cruzeiro consegue empate em Caracas e segue líder

Time mineiro fica no 1 a 1 na Venezuela e se aproxima da vaga à próxima fase da Copa Libertadores

Agência Estado,

18 de março de 2008 | 23h57

O Cruzeiro empatou com o Caracas por 1 a 1, na noite desta terça-feira, no Estádio Olímpico, na cidade de Caracas, na Venezuela. Com o resultado, o time mineiro manteve a liderança isolada do Grupo 1 e segue invicto na Libertadores. Veja também: Classificação Calendário e resultados da Libertadores O empate fora de casa foi um bom resultado para o Cruzeiro, que chegou aos oito pontos no Grupo 1 da Libertadores, depois de quatro jogos disputados. Está com um ponto de vantagem sobre o Caracas, que ocupa o segundo lugar. Ainda nesta chave aparecem o San Lorenzo (Argentina), com quatro pontos, e Real Potosí (Bolívia), com zero. Como nove dos 25 inscritos na Libertadores estão contundidos, o técnico Adilson Batista levou apenas 15 jogadores para a Venezuela - o terceiro goleiro Rafael tinha condições de jogo, mas não viajou com o grupo. Assim, o Cruzeiro ficou com apenas quatro reservas no banco, sendo que um deles, o zagueiro Thiago Heleno, não tinha condições de entrar em campo - ainda não se recuperou de lesão no pé direito. Mesmo com tantos problemas, o Cruzeiro teve algumas chances no primeiro tempo, principalmente com o atacante boliviaCaracas1Rosales; Lucena    , Vizcarrondo    , Mera e Valencia; Vera    , Edgar Jimenez (Casanova), Cominges     (Campos    ) e Vargas; Castellín e Bastianini (Rentería)Técnico: Noel SanvicenteCruzeiro1Fábio; Apodí, Léo Fortunato, Espinoza e Jonathan    ; Thiago Martinelli    , Marquinhos Paraná    , Ramires e Wagner; Marcinho e Marcelo MorenoTécnico: Adilson BatistaGols: Valencia, aos 29 minutos do primeiro tempo; Marcelo Moreno (pênalti), aos nove do segundoÁrbitro: Oscar Ruiz (Colômbia)Estádio: Olímpico, em Caracasno Marcelo Moreno. Mas foi o Caracas quem marcou primeiro. Em cobrança de falta de Cominges, aos 29 minutos, a zaga cruzeirense e o goleiro Fabio falharam, deixando Valencia sozinho, na pequena área, para cabecear: 1 a 0. No segundo tempo, o Cruzeiro voltou melhor e partiu em busca do empate, levando perigo quase constante ao goleiro Rosales, do Caracas. Wagner e Thiago Martinelli desperdiçaram boas chances até os sete minutos, quando o árbitro colombiano Oscar Ruiz marcou pênalti de Lucena, que colocou a mão na bola dentro da área. Aí, Marcelo Moreno bateu aos nove e empatou o jogo. Depois de conseguir o empate, o Cruzeiro diminuiu um pouco o ritmo, mais preocupado em evitar uma reação do adversário. Enquanto isso, o Caracas não teve forças para chegar à vitória e, apesar da pressão, criou poucas chances claras de gol. No fim, diante das circunstâncias, empate com sabor de vitória para os cruzeirenses.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa LibertadoresCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.