Cruzeiro derrota Palmeiras no Mineirão

O Palmeiras encerrou cinco jogos sem vencer e sem fazer nenhum gol com bola rolando. Em quatro derrotas e um empate, apenas um gol foi marcado, de pênalti. Ao cair por 2 a 0 diante do Cruzeiro, neste domingo, no Mineirão, o time deu forte sinal de alerta para a decisão com o São Paulo, na quarta-feira, pelas oitavas-de-final da Taça Libertadores: os erros da defesa continuam e o poder de fogo do ataque não cresce.O goleiro cruzeirense Fábio não fez sequer uma defesa difícil na partida até os cinco minutos finais, quando o Palmeiras tinha três atacantes em campo, partiu para cima no desespero e conseguiu duas boas chances, mas deixou espaço para o Cruzeiro.Durante praticamente a partida inteira, o trio ofensivo Juninho, Marcinho e Washington sequer chutou ao gol. O meia mostrou falta de preparo físico e foi incapaz de servir ao ataque sozinho, principalmente após a expulsão de Magrão ? que voltou à equipe e levou cartão vermelho junto com o zagueiro Argel, por discussão ainda no primeiro tempo.Na dupla ofensiva, Washington, que fez só um gol desde que foi contratado, errou passes, cabeçadas e chutes. Acabou substituído por Osmar. Ao seu lado, Marcinho foi o que mais tentou. Deu alguns bons passes, fez uma bela jogada individual, mas também foi incapaz de criar boas chances de finalização, seja de longe ou de dentro da área.TESTE PREOCUPANTE - Antes do duelo no Mineirão, o técnico Paulo Bonamigo afirmou que o jogo seria bom teste para o clássico de quarta pois o gramado do estádio de Belo Horizonte é grande como o do Morumbi e porque o Cruzeiro tem características semelhantes ao São Paulo: dois laterais apoiadores e um atacante forte e bom finalizador.Bonamigo estava certo. O teste funcionou, mas até demais: expôs as deficiências da defesa palmeirense, como na derrota para o São Paulo, e o time perdeu de novo. Athirson e Maurinho foram bons dublês de Cicinho e Júnior. O primeiro cruzou para Weldon fazer 1 a 0 e o segundo, para Fred, que fazia o papel de Grafite, fechar o placar. Ante ao goleador mineiro, no primeiro tempo, o Palmeiras mostrou sua maior, e neste domingo a única, virtude: o goleiro Marcos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.