Cruzeiro descarta astros argentinos

O diretor de Futebol do Cruzeiro, Eduardo Maluf, informou nesta segunda-feira que o clube desistiu de contratar um dos dois meias de ligação argentinos que estavam sendo sondados desde a saída do lateral Sorín. Maluf reniu-se no fim de semana, na Argentina, com dirigentes do Boca Juniors, dono do passe de Riquelme, e do San Lorenzo, ao qual pertence Romagnoli, além de ter mantido encontros com procuradores dos dois atletas. O resultado das conversas foi negativo. "No caso de Riquelme, o jogador pediu US$ 4 milhões em salários por ano e o Boca, outros US$ 4 milhões para nos ceder parte do passe, valores fora da realidade no nosso futebol e que inviabilizaram totalmente uma negociação", disse Maluf. Em relação a Romagnoli, que era o preferido pelos mineiros, o problema não foi só quanto ao valor da transação com o San Lorenzo (US$ 4 milhões). "O jogador sofreu uma cirurgia de ligamento cruzado em janeiro e só volta a treinar com bola em julho", afirmou o diretor. "Desta forma, achamos que seria temerário fazer um investimento para trazer o atleta, neste momento." Apesar disso, o Cruzeiro continua atrás de reforços para a disputa da Copa dos Campeões e do Brasileiro, principalmente um goleiro para a reserva de Jefferson, um lateral para substituir Sorín e um meia criativo, para fazer a ligação entre defesa e ataque. O atacante Marcelo Ramos, cujo passe pertence ao clube mineiro e estava no Nagoya Gramphus, do Japão, se reintegra à equipe no fim de junho. O mesmo pode acontecer com o meia Marcos Paulo, que estava emprestado à Udinese.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.