Divulgação/Adidas
Divulgação/Adidas

Cruzeiro divulga uniformes do novo fornecedor de material esportivo

Novos fardamentos estarão à venda a partir do dia 2 de janeiro; os valores vão de R$ 249,99 (masculina e feminina) a R$ 229,99 (infantil)

Redação, Estadão Conteúdo

26 de dezembro de 2019 | 12h44

O Cruzeiro divulgou nesta quinta-feira imagens dos seus novos uniformes, produzidos pela Adidas, que passará a ser a fornecedora de material esportivo do clube a partir de 1º de janeiro de 2020. O goleiro Fábio, o zagueiro Dedé e os volantes Henrique e Ederson e a meio-campista Micaelly atuaram como modelos do renovado uniforme.

A nova camisa número 1 do time terá o tradicional azul, com gola V e as cinco estrelas soltas, sem o escudo da equipe. O goleiro vestirá amarelo. Já o uniforme dois será branco, com gola arredondada e detalhes em azul. Substituta da Umbro, a Adidas tem contrato com o time mineiro até dezembro de 2022.

"Estamos muito felizes em anunciar esta novidade para o torcedor estrelado. Em nossa história, tivemos momentos importantes com a Adidas. Desenvolvemos na época camisas que se tornaram as mais amadas pelos cruzeirenses. E para nós é um orgulho grande retomar este relacionamento com uma das marcas mais prestigiadas, admiradas e desejadas do mundo. É a união de duas grandes marcas e tenho certeza de que repetiremos o sucesso que já tivemos com a Adidas", disse Rene Salviano, diretor comercial e de novos negócios do Cruzeiro.

Será a segunda vez que a Adidas produz o material esportivo do clube. A primeira aconteceu na década de 80. "É uma honra para nós esse retorno das três listras ao uniforme celeste, tão vitorioso. O Cruzeiro é um dos maiores times do país e a torcida é apaixonada como poucas são no mundo", afirmou Daniela Valsani, diretora sênior de marketing da Adidas.

De acordo com o clube, os novos uniformes já estarão à venda a partir do dia 2 de janeiro, data de aniversário do clube, nas lojas oficiais. Os valores vão de R$ 249,99 (masculina e feminina) a R$ 229,99 (infantil).

Rebaixado para a Série B, ao fim do Brasileiro, o Cruzeiro vive crise dentro e fora do gramado. Sem encantar dentro de campo, o time trocou de diretoria nos últimos dias, quando os dirigentes renunciaram coletivamente e foram substituídos por um grupo de empresários, em uma gestão provisória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.