Bruno Haddad / Cruzeiro
Bruno Haddad / Cruzeiro

Cruzeiro diz que primeiros testes para covid-19 tiveram resultados negativos

Time já está liberado pela prefeitura de Belo Horizonte para retomar os treinamentos

Redação, Estadão Conteúdo

17 de maio de 2020 | 21h12

A primeira bateria de exames realizada pelo Cruzeiro em seus membros não detectou nenhum caso de coronavírus. Neste domingo, o clube mineiro comunicou que os testes feitos na última sexta-feira, concentrados em dirigentes, membros da comissão técnica e outros funcionários, não detectaram qualquer caso da covid-19.

Os exames no Cruzeiro vão prosseguir nesta segunda-feira, sendo realizados nos jogadores. E são necessários para a retomada dos treinos da equipe, que recebeu na última semana o aval da Prefeitura de Belo Horizonte para recomeçar os trabalhos.

"Informamos que todos os colaboradores e membros da comissão técnica que passaram por exames da Covid-19, na última sexta-feira, testaram negativo. Nesta segunda-feira será a vez dos atletas realizarem os testes ao longo do dia, em grupos alternados, na Toca da Raposa 2", explicou o Cruzeiro em seu perfil no Twitter.

Os jogadores irão ao CT em horários escalonados nesta segunda-feira. Eles passarão por testes sorológicos e de sangue contra coronavírus. Além disso, aqueles que ainda não foram vacinados contra a H1N1, vão receber uma dose. A partir daí, com os resultados em mãos, o clube definirá o retorno aos treinos.

Durante a paralisação das competições, o Cruzeiro definiu Enderson Moreira como seu novo técnico. Ele ainda não teve um contato presencial com os jogadores, que têm treinado em suas residências.

Até agora, Grêmio e Internacional foram os principais clubes brasileiros a iniciarem atividades em seus centros de treinamento. Rival do Cruzeiro, o Atlético-MG testou seus atletas no início da semana para viabilizar a retomada das atividades. O Flamengo também realizou exames em seu elenco e funcionários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.