Cruzeiro diz que vai à CBF reclamar da arbitragem

O Cruzeiro não vence há seis jogos, mas segue dando respaldo ao técnico Celso Roth. Neste sábado, a equipe só empatou em casa com o Internacional, num duelo importante para manter o time mineiro na disputa por uma vaga na Copa Libertadores do ano que vem. Diante do frustrante 0 a 0, a diretoria celeste preferiu culpar a arbitragem pelo resultado.

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2012 | 16h17

"Por que essa má vontade com o nosso Cruzeiro? Nós saímos daqui indignados. Perdemos dois pontos aqui simplesmente por falha do juiz", reclamou José Maria Fialho, vice-presidente do Cruzeiro, falando do árbitro Paulo César de Oliveira.

"Ele (Oliveira) mandou bater o pênalti de novo. Mas adiantaram novamente e por que ele não mandou bater de novo? No segundo tempo, um pênalti claro em cima do Everton", continuo Fialho. No lance do pênalti anotado para o Cruzeiro, Borges bateu, fez, mas Paulo César Oliveira mandou voltar porque houve invasão de área generalizada. Na segunda tentativa, bateu por cima.

Por conta disso, o Cruzeiro reclamará formalmente da atuação do árbitro paulista. "A gente deixa de fazer os três pontos simplesmente por falha do juiz. É um negócio que deixa a diretoria muito triste, que deixa a torcida muito triste. O Cruzeiro vai à CBF. Vamos reclamar, porque é um absurdo o que fizeram hoje (sábado) aqui com o Cruzeiro."

Apesar de ter chegado ao sexto jogo sem vencer, o técnico Celso Roth disse ter gostado da atuação do Cruzeiro, minimizando o resultado. "Eu acho que o Cruzeiro fez de novo uma partida boa. É o terceiro jogo seguido que fizemos um jogo equilibrado. Tivemos oportunidades e saímos daqui com o sentimento de que poderia ter sido melhor, de novo. O Cruzeiro vem de sua terceira partida muito boa, enfrentando times muito bons. Temos que passar por esse momento, ter persistência", comentou o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.