Cruzeiro é campeão brasileiro de 2003

O Cruzeiro fez prevalecer seu favoritismo e pôs fim neste domingo a uma fila de mais de três décadas, conquistando o título de campeão brasileiro pela primeira vez desde quando a competição foi criada, em 1971. Diante de 73 mil torcedores, o time celeste venceu o Paysandu, por 2 a 1, no Mineirão, e assegurou a conquista, que viria mesmo com uma derrota, já que o Santos foi derrotado pelo Goiás, no Serra Dourada. A equipe de Vanderlei Luxemburgo soma agora 94 pontos e não pode ser mais alcançada por nenhum adversário. O título confirma o Cruzeiro como a mais vitoriosa equipe da temporada 2003, ano em que o clube mineiro conquistou a chamada "Tríplice Coroa" - além do Brasileirão, a Copa do Brasil e o Campeonato Mineiro. Esta é a segunda vez que o futebol mineiro comemora o título nacional. Antes, o Atlético-MG, maior rival do time azul, havia vencido a primeira edição do campeonato. Coube ao armador Zinho, substituto do meia Alex, suspenso, comandar a equipe mineira nos 45 minutos iniciais e abrir caminho para a vitória. Aos sete minutos, o veterano jogador, de 36 anos cobrou falta da direita. A bola atravessou toda a grande área e atingiu a rede, no canto direito de Carlos Germano, sem que nenhum atacante cruzeirense conseguisse concluir. Após o gol, o time de Luxemburgo tornou-se absoluto em campo e desperdiçou pelo menos três ótimas chances para ampliar o placar ainda no primeiro tempo. Zinho, com uma bela atuação, fez com que o torcedor celeste não lamentasse a ausência de Alex, maior ídolo e destaque do time. Dois minutos depois de marcar o primeiro gol da partida, ele quase faz novamente, ao completar um cruzamento da direita. Aos 38 minutos, o armador enfileirou a zaga paraense, invadiu a área, e só não marcou o segundo porque a bola bateu na trave direita do gol de Carlos Germano. O Paysandu só conseguiu finalizar pela primeira vez quando restava apenas um minuto para o término da etapa inicial. O meia Vélber acertou um chute de fora da área e obrigou o goleiro Gomes a trabalhar. O time do técnico Ivo Wortmann, porém, voltou do intervalo com mais disposição e só não empatou porque Gomes fez duas grandes intervenções, aos quatro e aos 12 minutos. A queda de rendimento do time obrigou Luxemburgo a fazer três substituições. Uma delas foi a entrada do atacante Mota no lugar do colombiano Aristizábal. E foi o cearense que fez a torcida celeste, que não conseguiu conter o grito de campeão e já nas primeiras horas do dia festejava pelas ruas de Belo Horizonte, explodir de alegria. Ele recebeu livre na entrada da área e chutou de bico para fazer 2 a 0. Aos 45 minutos, o atacante Aldrovani invadiu a área a chutou entre as pernas de Gomes, descontando para o Paysandu. A derrota complicou a situação do Papão da Curuzu, que continua com 48 pontos, na zona de rebaixamento. Ao final do jogo, os jogadores receberam duas taças simbólicas, com as quais deram a volta olímpica. Uma delas foi entregue ao zagueiro Cris, capitão do time, pelo governador de Minas, Aécio Neves, um cruzeirense declarado. A taça oficial do campeonato será entregue somente na última rodada do Brasileirão, quando o Cruzeiro enfrenta o Bahia, em Salvador.RECORDES - Outro fator emblemático da conquista: o técnico Vanderlei Luxemburgo chegou ao seu quarto título nacional quebrando um recorde. Agora ele é o treinador que mais venceu campeonatos brasileiros, superando Rubens Minelli e Ênio Andrade, que haviam conquistado três. Luxemburgo venceu com o Palmeiras em 93 e 94 e com o Corinthians, em 98, justamente contra o Cruzeiro. O meia Zinho também entrou para a história. Ele foi escalado para o jogo deste domingo somente porque o titular Alex estava suspenso. E acabou sendo o destaque da partida. Fez o gol que abriu a vitória e se transformou, ao lado de Andrade, no jogador que mais títulos brasileiros tem em seu currículo. O meia chegou ao seu 5º título nacional - antes havia levantado a taça em 87 e 92 com o Flamengo e 93 e 94 com o Palmeiras. O Cruzeiro tem ainda mais dois jogos pela frente. Na próxima rodada pega o Fluminense em casa e fecha o campeonato contra o Bahia, dia 14, na Fonte Nova. Os dois jogos, no entanto, servirão apenas para comemoração. Ficha Técnica: Cruzeiro 2 x 1 Paysandu. Gols - Zinho, aos sete minutos do 1º tempo. Mota, aos 28, e Aldrovani, aos 45 minutos do 2º tempo. Cruzeiro - Gomes; Maurinho, Cris, Edu Dracena e Leandro; Maldonado, Augusto Recife (Felipe Melo), Wendell (Sandro) e Zinho; Márcio Nobre e Aristizábal (Mota). Técnico - Vanderlei Luxemburgo. Paysandu - Carlos Germano; Lecheva (Borges Neto), Lima, Jorginho e Souza; Vanderson, Sandro, Vélber (Júnior Amorim) e Magnum; Aldrovani e Jóbson (Alexandre Pinho). Técnico - Ivo Wortmann. Árbitro - Héber Roberto Lopes (PR). Cartão amarelo - Sandro (Paysandu). Público - 73.141 pagantes. Renda - R$ 827.201, 00. Local - Mineirão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.